quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Poetas e Prosadores

Será que os poetas tem a exclusividade de cantar o amor? E os prosadores? Mais dificil para os últimos? Será? Que "ferramentas" lhes faltam?

18 comentários:

  1. Perante a pertinência das questões não tenho resposta.
    Todavia, todos temos uma maneira de cantar o amor, será de forma ridícula?
    Não sei.
    Beijinho grato pelas palavras sempre atentas que deixa no meu cantinho. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na essência, o que importa, é que sejamos capazes de o manifestar, de ter coragem para assumir o ridículo(?).
      Penso que o prosador tem, nessa área, mais dificuldade em "brincar" com a palavra escrita.
      Será? A questão continua em aberto.

      Passar pelo seu cantinho tornou-se uma inevitabilidade. Porquê? Pelo simples facto de nos proporcionar um imenso prazer.

      Beijinho.

      Eliminar
  2. Pergunta difícil... :)
    Mas penso que não... Que não existe exclusividade nos poetas ;) Talvez a diferença resida no facto de os últimos não cantarem de forma dramática e muito intensa, dorida até, como muitas vezes fazem os poetas :) Digamos que os prosadores talvez usem mais o lado jovial, alegre e brilhante da vida... e muitas vezes também o divertido, mesmo nas trovas ;)

    Um grande beijinho, boa amiga... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Difícil? Achas?!...

      Talvez tenhas alguma razão, mas (e sabes do que falo!) o prosador "brinca" com a palavra de forma diferente.
      Sem querer generalizar, penso ser mais fácil encontrar um poeta que escreva de forma "agradável", a um prosador que escreva com mestria.

      Beijinho, Amigo.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Aliás, o amor canta-se muitíssimo melhor sem palavras.
      Essa é a forma mais genuína, mais autêntica de o manifestar.

      Abraço.

      Eliminar
  4. Saber escutar o amor, já é por si uma forma de o cantar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escutar sem sentir? Quem não sente, não ouve.

      Eliminar
  5. O amor é eterno tema, e ninguém tem o seu exclusivo. Manifesta-o é de forma diferente, de acordo com a sua arte (poetas, prosadores, escultores, pintores, músicos, cineastas...).

    Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apenas uns mais conseguidos do que outros!:)

      Beijinho.

      Eliminar
  6. Todos cantam o amor à sua maneira, uns sentem-no com maior intensidade que outros, a forma de o eternizar é subjectiva. Cantemos o nosso, à nossa maneira!
    Um beijinho, GL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso estar aí o "segredo": que saibamos cantá-lo, transmiti-lo, à nossa maneira!

      Beijinho.

      Eliminar
  7. Tirando as questões formais, parece-me que cada vez é mais difícil distinguir o que é poesia ou prosa, desde que esta não seja em linguagem denotativa.
    E o amor diz respeito às duas.
    E a nós também.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É precisamente sobre para as questões formais que gostaria de remeter.
      Talvez esta discussão nos levasse longe!:)))

      Beijinho.

      Eliminar
  8. porque o poeta é um "fingidor", será?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou porque uns sabem mentir melhor do que outros?

      Abraço.

      Eliminar
  9. GL, uma prosa que gostei muito sobre o amor: "Cartas a Sandra" do Vergílio Ferreira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há excepções, claro, e o nosso Vergílio Ferreira é uma delas.

      Beijinho

      Eliminar