quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Bombeiros, AINDA!

Navegando por aqui, ouço em fundo, o noticiário.
 
Hoje, morreu mais um bombeiro.
Mais um!
Quantos mais é necessário que morram para que se faça qualquer coisa?
 
Um bombeiro na sua dor e revolta, dizia: "não mandem psicólogos,  apanhem e castiguem os responsáveis." Aqui está o pedido carregado da sabedoria de quem está no terreno, de quem vê a morte todos os dias. As pessoas necessitam que sejam tomadas medidas, não necessitam de palavrinhas de consolo.
 
Já agora, um pedido aos senhores jornalistas.
 
Poupem as pessoas que são vítimas desta calamidade. Tenham o bom senso (sim, é uma questão do mais elementar bom senso e inteligência!), não coloquem questões completamente absurdas - para não dizer estúpidas - como, por exemplo, quando as chamas "lambem" as paredes da casa perguntar a se a pessoa está preocupada, se está aflita. Isto é de uma estupidez intolerável, de uma imensa falta de respeito.
Pensem na vossa casa. Pensem como estariam se vivessem a situação/aflição daquelas pessoas. Talvez esse exercício evitasse a vergonha que são as vossas questões.

12 comentários:

  1. Comungo desse absurdo que é fazer-se jornalismo com entrevistas a pessoas ofegantes e de coração nas mãos, como se estivessem na praia... Há muitíssimas forma de se registar o que sucede, o quen inclui os habitantes em perigo...

    Beijinho amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, pura e simplesmente, intolerável!
      Por vezes tenha a sensação de estar perante autómatos, em vez de gente, gente de sangue, e alma, e coração.
      Todos sabemos que lhes são dadas orientações no sentido de explorar a desgraça, mas por favor!...

      Beijinho, Amigo.

      Eliminar
  2. É uma dor de alma... hoje foi um senhor do meu distrito, tão triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem sido uma verdadeira calamidade!
      Os últimos anos já têm sido problemáticos, mas este, desgraçadamente, excede tudo.

      Eliminar
  3. Jornalismo ?
    Isso nunca foi jornalismo !
    Jornalismo é uma actividade nobre.
    Estes não passam de uns badamecos que ganham fortunas.
    Eu saberia que lhes responder !

    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não posso estar mais de acordo, João!
      Se soubesses a revolta que sinto quando ouço estas barbaridades!...
      Chamar a isto jornalismo é uma ofensa aos verdadeiros profissionais.

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Partilho da opinião do João, inteiramente. Pertinente alerta, GL. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma vergonha, um atentado ao sofrimento e aflição de pessoas que merecem todo o nosso respeito.

      Beijinho.

      Eliminar
  5. Um jornalismo que enoja. Jornalistas que o não são.
    Também quando soube desta notícia senti que não há justiça.
    Um beijinho e obrigada por este olhar lúcido. :))
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Profissionais de quem se espera(va) mais, muito mais.
      Sabemos que têm indicações no sentido de explorar o "quanto mais sangue melhor", mas também sabemos que há uma coisa chamada respeito e bom senso, atributos que era suposto porem em prática.

      Beijinho.

      Eliminar
  6. Concordo inteiramente consigo. Infelizmente há jornalistas com falta de humanismo e bom senso, no lugar do coração têm um bloco de pedra, sem sentimentos. Também fiquei revoltadíssima!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem não fica, Maria Eduardo?!
      Uma vergonha e, em simultâneo, uma amostra inequívoca da qualidade do jornalismo que temos. Há excepções? Claro que sim! Pena é que sejam apenas isso: excepções.

      Beijinho.

      Eliminar