segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Menino pobre (...) olha o sol que vai nascendo.

Pegando nas palavras de um Amigo que por aqui passa, não resisto a dar-lhes continuidade.
Convido-vos, não só a ouvir a belíssima balada do nosso querido Zeca Afonso, na voz de Isabel Silvestre, como ver a expressão, a força, o que se "lê" no  todo, que é a sua postura e expressão facial.
Interpretação sentida, tão sentida!... 




Uma balada que é um grito de alerta: 
 "... onde não há pão, não há sossego..."

Alguém duvida?!

Mas também um grito de esperança:
"Olha o sol que vai nascendo,
anda ver o mar..."

Que falta fazem Homens como este!...
 

34 comentários:

  1. Homens que sabiam bem o que faz falta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essencialmente, Homens dignos desse nome.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. O que queria acreditar, o que queria que esse dia fosse hoje, agora.
      É urgente, Puma, é urgente!

      Eliminar
  3. Esta balada é fenomenal.
    E a interpretação fortíssima.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois grandes: autor e interprete.

      A balada, além de lindíssima, é tão actual!...

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Bem-vinda, Lacorrilha,
      Não sei se te vou deixar entrar. É que não trouxeste a Sofia!...:)))

      A balada é lindíssima. É daquelas que ficam, que são imortais.

      Eliminar
  5. É um vídeo muito bom. Gostei muito.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Isabel Silvestre mantem uma voz cristalina, a que alia um amadurecimento extremamente enriquecedor.
      Beijinho.

      Eliminar

  6. Faz-nos falta o Zeca! Muita!

    Gostei de ver e de ouvir.

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se faz, Laura, se faz!

      Também gostei da interpretação de Isabel Silvestre. Conseguiu dar uma força notável à canção do nosso Zeca.

      Beijinho.

      Eliminar
  7. Uma balada que bem poderia soar por aqui... A letra nos atinge pelo teor da mensagem, mas a música tem tal vigor que nos faz marejar os olhos. Linda composição, comovente interpretação.
    Fica um sorriso (meio triste) a brincar numa estrela que te deixo, amiga!
    Com carinho,
    Helena

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Letra e música que nos remetem para uma triste realidade, tragédia que afecta vários países.
      Obrigada pela minha estrela. O que gosto de as ver! "Luzinhas" que nos apaziguam.

      Beijinho, Helena.

      Eliminar
  8. excelente interpretação - uma voz poderosa...

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida! Há emoção, força, "intenção" na voz desta Mulher.

      Eliminar
  9. GL,
    Um momento bonito. Não sei se já amanheceu se continuamos numa noite muito enevoada. Hoje ao ouvir as notícias só me ocorre uma bruma imensa.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ana,
      É noite sem réstea de luar.
      Breu, apenas!

      Beijinho.

      Eliminar
  10. "... onde não há pão, não há sossego..."
    Sabes o que me assusta, GL?Tantos milhões de anos de evolução da nossa espécie e para quê? Mesmo no seio das famílias, em tempo de crise, quem são os mais negligenciados?

    "Que falta fazem Homens como este!..." Pois fazem, porque acreditavam e por isso lutavam.
    Hoje acreditamos?

    Abraço grande

    (Gostei muito de ouvir Isabel Silvestre interpretar este tema. )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os "eleitos" são sempre os mais fracos, seja em que situação for. Fazer frente aos poderosos? Amigo, a cobardia, a desumanidade, a indiferença constituem alguns dos mandamentos da actualidade.
      A evolução da espécie não cumprirá ciclos? É que sinto que estamos a regredir e a variadissimos niveis.
      Hoje não se luta porque não se acredita? Honestamente, acreditar em QUEM? Alguns, raros, suscitam-nos alguma esperança, apenas isso.

      Abraço grande.

      Eliminar
  11. O saudoso Zeca aqui muito bem recordado pela voz sempre cristalina de Isabel Silvestre.
    Obrigada pela partilha.
    Um beijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão gratificante recordar estes Homens grandes, Homens que faziam a diferença.
      Hoje? Valho-nos Deus!

      Beijinho.

      Eliminar
  12. Bom dia, com boa música.
    E tudo aquilo que faz falta...

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!
      Agora, neste instante, tenho por companhia uma belíssima música :)
      Adoro estes momentos em que à noite (sou uma noctívaga!) se alia o silêncio da casa e, em surdina, a música me envolve de sons magníficos.
      E é a paz, a paz que me quer fugir a todo o custo.

      Beijinho.

      Eliminar
  13. Da autoria do cavaleiro da utopia, uma canção de e para sempre.

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  14. Respostas
    1. Obrigada por ter vindo até aqui!

      Logo que possa espreitarei o seu cantinho.

      Eliminar
  15. GL,

    Não é em QUEM, é em QUÊ!

    Abraço grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se me permite, é em QUEM e em QUÊ. É que a luta pressupõe a existência destes dois factores.
      Abraço grande.

      Eliminar