domingo, 1 de dezembro de 2013

Percursos (esquecidos)?

Eis-nos chegados - e a "celebrar" - o dia 1º. de Dezembro.
Sim, eu sei! Que se acalmem os que clamam! O feriado viu chegado o seu fim, mas...? Continuaremos a lutar!...

Numa visita matinal pela blogosfera deparo-me com um belíssimo texto subordinado ao Dia que hoje se comemora. Com a devida autorização da sua autora, do blog "cabide de simplicidades" aqui  vo-lo deixo.

"EXORTAÇÃO/COMEMORAÇÃO 1/dezº/1640 -1/dezº 2013
 
Até aqui lutei/lutamos por Liberdade. Hoje luto por Independência. Quero independência do novo capitalismo e fascismo nacional e estrangeiro a que estamos subjugados. Não quero estas lagartas gordas que estão e têm estado no poder. Não quero estas múmias como presidentes nem que seja de junta de freguesia. Não quero estes ratos armados em chefes de alguma coisa, até do meu país. Não quero estes homens e mulheres que abanam e dobram a cabeça mais ou menos submissas ou procuram com fingida repulsa, fintas várias e insultos. Não deixamos de ser o país das meias solas, como dizia Aquilino, agora não literalmente, porque as meias solas custam mais que sapatos chineses, mas somos o país das meias solas mentais. Continuamos com a cruz às costas enquanto os políticos que fazem os ricos e os ricos que fazem os políticos andam todos a pandegar à nossa custa. Não somos uma nação de rapina, mas muitos gostavam de ser, senão não se deixavam rapinar desta forma. Só quem tem esta ambição pode compreender e aceitar as nações e os governos de rapina. Já não é só a Europa a olhar para nós com um desdém manifesto por nos considerar medíocres, por aceitarmos todas as cangas que nos impõe, mas o mundo todo. Consideram-nos uma raça de estúpidos. E se continuarmos assim, é mesmo o que somos. Estamos a ficar um país chaguento e adusto. O verdadeiro triunfo é o prestígio próprio como dizia Juan Benet. Temos cada um de nós levantar a cabeça e fazer alguma coisa pela nossa terra, pelo nosso País. Cada um de nós tem que dar o melhor que tem e colaborar um país Independente e Livre."

Com vêem, imperdível!
A ler e, principalmente, a  meditar.

Um grande obrigada, Helena. 

Boa semana para todos vós!

18 comentários:


  1. Uma boa análise, de facto, deste país onde abunda o minifúndio mental.

    Obrigada por ma ter dado a conhecer.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lucidez, pragmatismo, desencanto, revolta, está lá tudo.
      E mágoa, muita mágoa.

      Beijinho.

      Eliminar
  2. Uma análise interessante e pertinente.

    Beijinho, GL.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada vez mais pertinente. E o que isso dói, Ana!

      Beijinho.

      Eliminar
  3. Obrigada a ambas por terem partilhado esta análise, a revolta de todos nós.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem que agradecer, Maria Eduardo!
      O mais triste é que não se vê solução para esta calamidade nas próximas décadas.

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Um verdadeiro grito de revolta pelos desmandos que os governantes impõe ao país. Há que se lutar sim, para que a memória fique resguardada e sejam comemoradas datas importantes na história de uma nação. Que os cidadãos desse país amigo/irmão não deixem calar a voz nem o grito de revolta que lhes machuca o peito.
    Amiga, gostei muito da dupla do clip da postagem anterior. Deu-me vontade de comprar uma passagem imediatamente para ir conhecer essa cidade tão linda que é Lisboa. Uma linda homenagem à tua terra!
    Ficam sorrisos e estrelas enfeitando a tua semana, com meu carinho,
    Helena

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um atentado, o que se está a viver, não só neste País, mas um pouco por todo o mundo.

      Ora faça favor de vir até cá!... Garanto-lhe que vai gostar da nossa bela Lisboa:)

      Retribuo, estrelas e sorrisos.:)

      Eliminar
  5. A abolição deste feriado é perfeitamente incompreensível :(
    Boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se o problema fosse só esse!...

      Abraço.

      Eliminar
  6. "Não deixamos de ser o país das meias solas, como dizia Aquilino, agora não literalmente, porque as meias solas custam mais que sapatos chineses, mas somos o país das meias solas mentais!"
    Diz tudo! Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é que diz tudo, MESMO!
      É triste, muito, mas é assim.

      Beijinho.

      Eliminar
  7. "Consideram-nos uma raça de estúpidos. E se continuarmos assim, é mesmo o que somos."

    Já fizemos um 1º de Dezembro e um 25 de abril. Pelo menos. Estamos cansados....

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cansados mas não esgotados, creio!
      A resistência mostrada, à exaustão, por todos os que sofrem na pele as consequências deste descalabro, indiciam que ainda somos um povo com coragem. Pena é que o dito esteja na base da pirâmide.

      Beijinho.

      Eliminar
  8. É um excelente texto da minha homónima, cuja leitura eu tinha falhado. Tenho que lá voltar.
    Na verdade perdemos mais uma boa data para darmos uso a algumas varandas...


    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelente, diz muito bem, Helena! Há visitas que se tornam "obrigatórias", o "lenço de papel" é uma delas.
      Aproveitemos as varandas. Os dias não necessitam de ser datados...

      Beijinho.

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Eu também!
      Quando encontro um blogue como o "lenço de papel" fico em festa. É que não há muitos, sabe?!

      Abraço grande.

      Eliminar