domingo, 26 de janeiro de 2014

Mão na mão


A água, esse elemento mágico transformada, com a cumplicidade do sol, em espelho.
As gaivotas planam, lá no alto, bem lá no alto, com a elegância e leveza próprias da  sua condição.
Pescadores, pacientes - como é seu dever e natureza - aguardam o peixe que…? 
Virá?..
Que importa! Esperam.
Gargalhadas sonoras, a roçar o obsceno, fazem desviar os olhares de quem passa.
Quatro mulheres sentadas no paredão, conversam. Uma delas, ar de matrona, gere a conversa, gere a risada.
Olhos, qual câmara fotográfica, vão registando flashes, fragmentos de vidas, de vidas de gentes.
 
 
À nossa frente, dois jovens, juntos, cúmplices nas mãos entrelaçadas. Passos lentos, curtos, sincronizados, como que saboreados.
Ele, moreno, cabelos muito negros, elegante nas suas calças de ganga, blusão, cachecol, luvas pretas. (serão de pele?)
Ela esguia, bem-feita, numa elegância discreta, cabelo apanhado, jeans, blusão, cachecol, luvas (quem pretende imitar quem?!), sapatos de salto alto, mala a tiracolo.
Passam!
E um rosto que se vira, e um perfil delicado. Olha-o num sorriso, misto de ternura, doçura, serenidade.
Amar-se-ão? Que belos são aqueles dois!
Baixinho, o voto:
- que sejam felizes!
Não ouvem, não adivinham o desejo de alguém que os olha, que os bendiz.
Seguem.
Dedos entrelaçados, mãos unidas, passada curta, lenta, sincronizada, saboreada.
Seguem!
Que sejam felizes!
Que a vida nunca vos seja madrasta! 

 

25 comentários:

  1. Este texto transmite ternura, muita sensibilidade,...e uma excelente observadora! Adorei-o!
    Abracinho meu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há quem diga que tenho uma memória fotográfica, o que aqui nem está em causa, mas que olho o mundo à minha volta, lá isso olho!

      Beijinho sem embrulho.

      Eliminar

  2. Fiquei-me a sentir sem pestanejar... com medo que, se o fizesse, as imagens últimas desaparecessem.
    "Que sejam felizes!
    Que a vida nunca (...) seja madrasta!"

    Beijinho e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se visses a ternura que emanava aqueles dois!... Por isso apetecia desejar-lhes que tudo desse certo, que mantivessem, mais do que aquele mão na mão, o amor que deixavam transparecer.
      Momentos bonitos, também para quem os partilha.

      Beijinho.

      Eliminar
  3. Mão na mão e passada sincronizada é uma boa forma de ir pela vida adentro. Quanto ao resto, que seja eterno enquanto dure!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que Deus os guarde. Sabemos que nada é eterno, mas que saibam preservar o essencial: a ternura, a cumplicidade, a caminhada a um só passo.

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Mão na mão e "passo certo"...
    Muito bonito.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haverá melhor forma de começar uma vida a dois?!

      Abraço.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Ora aí está um voto que gostaríamos de ver cumprido.

      Abraço.

      Eliminar
  6. Muito bonito!
    É tão bom sentirmo-nos felizes com a felicidade dos outros, sem segundas intensões...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só que não é muito comum! A felicidade dos outros por vezes incomoda.
      Que nome dar a este sentimento mesquinho?!

      Eliminar
  7. Posso meter um pausinho na "engrenagem"?
    Assim tipo "quem vê caras não vê corações"? Pronto, já meti.
    Mas isto não tira nem beleza ao texto nem ao "quadro". E até faço votos para que o pausinho não emperre a "marcha".
    Bjo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não pode! Que Carapauzito mais malvado!
      "Quem vê caras não vê corações", mas quem vê olhares pode ver sentimentos, bons e maus. É só uma questão de saber olhar.

      Abraço (ai, essas barbatanas!...)

      Eliminar
  8. Quanta nostalgia vem com este texto!

    Abraço grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nostalgia que não fecha a porta à beleza daqueles momentos.

      Abraço grande, Amigo.

      Eliminar
  9. GL,
    Um apanhado feliz que levou ao pensamento/desejo.
    Tão bonito!
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ana,
      Que coisa estranha, só hoje vi o seu comentário, nos "comentários a aguardar publicação". As minhas desculpas, mas não percebo o que se passou.
      Bonito mesmo aquilo que me foi dado observar:))
      Beijinho.

      Eliminar
  10. cinematográfica a tua bela crónica ...

    pressente-se o arfar do Desejo nessa "atmosfera" tão bem descrita...

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desejo implícito? Muito provavelmente.

      Beijinho.

      Eliminar
  11. Quando há muito riso e amor, se as coisas derem para o torto, é quando mais se sofre e mais lagrimas e tristeza haverá! Será, talvez, o preço a pagar pela entrega, mas que nos jovens e nos que que fisicamente já não o são, o caminho possa ser de igual maneira e igual intensidade de amor e gratidão...

    beijinho amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No amor, como em tudo na vida, há sempre altos e baixos, momentos bons e outros menos bons. Gerir e saber ultrapassar vicissitudes faz parte do caminho.
      Beijinho, Lobinho.

      Eliminar
  12. As mãos dadas com ternura são belas em qualquer idade!
    Obrigada pela visita!

    ResponderEliminar