quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Até já, Paco!

E assim partes, sem aviso, sem esperar.
E deixas-nos mais pobres.
Pobres, particularmente  na beleza do flamenco que interpretavas de forma magistral.

 
Tu, Paco, tu eras o próprio flamenco.
Não tocavas apenas com as mãos, tocavas todo, por inteiro, mais até com a alma.
 
E eu, triste!
Triste por ver partir os melhores.
Triste porque queria ter poder para vos segurar, ter-vos aqui, poder usufruir da beleza que tu - e outros mesmo que de outras áreas - proporcionavas, tornando este nosso mundo menos cinzento.
 
Obrigada, Paco!
Até já.
 
 

18 comentários:

  1. É difícil ver partir um génio que tanto nos deu.
    Hoje o dia foi particularmente triste.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É doloroso, sim!
      Homens que nos proporcionaram momentos de beleza, d magia, Homens que fizeram a diferença.
      Beijinho.

      Eliminar
  2. Muito bonito, GL.
    Associo-me à sua homenagem.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
  3. Ficam aquelas melodias na guitarra que cantava.
    Para ouvir durante muitos, muitos anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que o tempo nunca o apague da memória, das memórias dos vindouros.

      Abraço.

      Eliminar
  4. Ver partir quem nos diz algo é sempre triste...mas fica a sua obra musical para nos recordarmos da sua genialidade!!! Bj

    ResponderEliminar
  5. Isto de um tipo morrer é uma grande chatice e também um grande desperdício. Anda um fulano umas dezenas de anos a aperfeiçoar o seu "tocar guitarra" e dum momento para o outro perde-se tudo. Nem o Paco legou a sua arte a ninguém para a continuar, nem eu posso deixar o pouco que sei disto e daquilo a alguém que gostasse também gostasse de o continuar. Por isso ando a ver se me aguento o mais que possa, para não "ir ter com ele e com outros".
    Abraço (aproveita porque "depois" já não há).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas ainda estás a tempo, ora essa! ~
      A tempo de ensinar, entendeu?
      Ah, espera! Agora percebo a razão de ser da aula de História!...
      Andas a ver se te aguentas? Não te quero desanimar, mas...

      Depois não há abraço? Ai não? Já me estava a sentir abraçada por...?
      Por um carapau meio estragado!

      Abraço. (mesmo de barbatanas abertas!) :)

      P.S. Atreve-te a dizer que não sou amiga!...

      Eliminar
  6. Um coração que deixou de tocar.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso mesmo, jrd!
      Fica um vazio, a sensação que os melhores estão a partir.

      Abraço.

      Eliminar
  7. Cá em casa, também sentimos muito. Deixa muita pena! Tinha tanto ainda por dar e por fazer...
    Beijinho, GL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito tristes estas percas, e tanto mais tristes porque deixam vazios dificilmente preenchíveis.

      Beijinho, Sandra.

      Eliminar