quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

País aos remendos.

A vida é feita de um conjunto de acontecimentos. Bons, maus, assim-assim, classificáveis ou não.
E é a vida num decorrer "sereno".


Que novidade, dirão!
A "novidade" está na vida tipo "telenovela", feita de episódios, hoje uns, amanhã outros e assim, sempre, e cada vez mais, assim.
Passada, gasta, exausta que está a fase das praxes, entramos na fase Miró.
Episódio após episódio, novidade após novidade, eis-nos, felizes, perante mais um imbróglio sem fim à vista. E nós, gratos e felizes, aguardamos o próximo acontecimento.
A nossa paciência e gratidão não têm limites, podem estar tranquilos.

16 comentários:

  1. Somos um povo de paciência elástica, GL. E, pacientemente, vamos naufragando. Ficaremos a fazer companhia às naus e armaduras.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos, vamos!
      Por vezes tenho esperança que a situação se inverta, mas não!
      Deve ser um problema...? Qual, alguém me saberá dizer?

      Beijinho.

      Eliminar
  2. GL,
    Gosto imenso do seu sentido de humor e da forma como expõe as suas críticas.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ana,

      Procuro aligeirar, só isso!

      Beijinho.

      Eliminar
  3. Verdade! Outra novela... mas a mim não me repugna a venda de algo que fazia parte do espolio do BPN (que não é exactamente Estado) e com todo a admiração pela arte que tenho, a existir aliebação não me causa mal algum, pelo contrário, minimiza a dívida se bem leiloadao... NO fundo é como se não existisse e passou a existir apenas pela alarvidade que aconteceu com o BPN. Resta saber se o estado, i.i., nós, ainda vamos ter de pagar os cinco milhões exigidos por indemnização caso a venda não se realize... Às vezes mais vale estar-se quieto...

    um beijinho grande, GL :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lobinho,

      Acreditas que o valor resultante da venda era destinado a minimizar a dívida?
      Não, não sou tão optimista!
      Que nos saia na rifa (não é um automóvel) a sorte de ter que pagar a indemnização, isso, talvez!...

      Beijinho grande, Lobinho.

      Eliminar
  4. E com essa novelas vai-se distraindo o pagode :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está!
      O intuito - ou um deles -, é esse mesmo.

      Abraço.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Com 16 metros de altura.
      É, o Inverno tem sido muito rigoroso.

      Abraço.

      Eliminar
  6. Assino por baixo!
    Haja paciência...para tanta trapalhice! Tudo de bom!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é que já não há paciência para mais!

      Abraço.

      Eliminar
  7. Eu "sabia" que ias "agarrar" o Miró. Instinto de peixe não falha...
    E pensei nisso, porque também eu não ia desperdiçar o tema. Peguei-lhe foi doutra maneira, porque não sou bicho de levar as coisas a sério. Agora que somos (somos, nós los portugas) umas máquinas a tratar de qualquer assunto por mais corriqueiro que seja, lá isso somos...
    Não há vergoenza... :)
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Agarrar" o Miró? Eu?! As calúnias que se levantam!... Eu agarro, e S. Ex.ª o Carapauzito pega-lhe. Importa-se de esclarecer qual a diferença?! Adiante!...

      Não seremos umas máquinas, mas que somos uns artistas, lá isso somos! Pena é que a habilidade vá sempre para os mesmos.

      Não sei falar estrangeiro, por isso, em consequência dessa lacuna grave, importa-se de traduzir essa coisa da vergoenza? Agradecida!

      Abraço? Nem pensar!

      Eliminar
  8. Miró nunca me enganou
    só quem o vende ao desbarato

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver como acaba a "telenovela". Sim, que isto ainda está para durar!!!!

      Eliminar