segunda-feira, 28 de abril de 2014

Aconchegos de alma.

Hoje, alguém, enviou-me a frase que transcrevo abaixo, singela, assim, sem mais nada.

"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós."
Não posso estar mais de acordo.
Os que não deixam ou não levam nada, não passam de zombies que não pertencem ao meu/nosso mundo.
E o que tem a ver a "belíssima" fotografia com que vos presenteio com Amizade que se subentende acima?
Nada, a não ser mostrar-vos os meus "dotes" fotográficos. São capazes de me explicar como é que consegui pôr o meu tão amado Tejo numa perspectiva que parece estar acima do seu leito?
Juro-vos que não estava deitada no chão.  
Há pessoas desajeitadas, outras muitíssimo desajeitadas. Quer parecer-me que a minha zona de conforto está no segundo grupo...

Meninos e meninas, especialistas na arte de bem fotografar, podem rir à vontade!

30 comentários:

  1. Eu não me rio, primeiro porque a fotografia está lindíssima e segundo porque quem tem a medalha de péssima fotógrafa sou eu!
    Abracinho meu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, não queres que te roube os "louros"? Então está bem! :)

      Beijinho sem embrulho.

      Eliminar
  2. Gostei muito da fotografia, o céu está fabuloso.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
  3. O Tejo consegue sempre surpreender-nos!
    :)
    Beijinho, GL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a afagar-nos a alma, mas daí a ficar com uma imensa "barriga"... :)

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Uma bela foto...acompanhada com uma excelente reflexão...não podia surtir em melhor aconchego! Bj

    ResponderEliminar
  5. Uma bela fotografia, original e digna do rio que tenho nos genes.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. jrd, concordo em absoluto. É mesmo original!
      Valha-me Deus!!!!

      Abraço.

      Eliminar
  6. Não sei se o que vou dizer tem alguma coisa a ver com essa frase (que eu já conhecia e é linda), mas no final do ano que passou tive que desistir de uma pessoa que foi como uma irmã para mim durante 6 anos. Não me custou nada. A vida só faz sentido rodeada de pessoas que nos acrescentam. É suposto estarmos sempre a evoluir, é nisso que acredito e também acredito piamente que as pessoas aparecem na nossa vida para isso mesmo, para nos ajudarem no nosso crescimento. E quando evoluímos, Deus afasta-as de nós e envia-nos outras. É aceitar e enviar compaixão para quem fica atrás.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que tem a ver com a frase!
      Esta conversa daria "pano para mangas", mas temos que optar por mangas curtas.:)
      Consideras que: "A vida só faz sentido rodeada de pessoas que nos acrescentam.", mas para que isso aconteça tem que haver afinidade, respeito, disponibilidade e, até uma certa aceitação do Outro.
      Ouves aqueles que nada te dizem? Certamente que não! Não há afinidades, ainda que mínimas, não é possível essa troca que conduz à evolução, porque é de uma troca que se trata.
      Na minha óptica é estranho, muito estranho, que se acabe uma amizade de anos sem dor, sem sofrimento. Dói, Nadine, dói! Como é que não te custou nada? Certamente tiveste as tuas razões, mas é impossível que não tenha ficado uma certa mágoa.
      Apesar da estranheza inicial, de certa forma compreendo-te. Talvez porque a vida me tenha tornado mais céptica, também já tenho alguma dificuldade - ao contrário do que acontecia há tempos atrás -, em acreditar naquelas amizades para sempre, amizades para a vida. Mas atribuo isto ao egoísmo, puro e duro, nada mais.
      Muito curioso esse teu acreditar na acção vs presença das pessoas nas nossas vidas. Chegam até nós para nos ajudar a alcançar um outro patamar, é isso?
      "É aceitar e enviar compaixão para quem fica para trás"? Como é que isso se processa, ou melhor, é viável? Se há compaixão(?) tem que haver nem que seja um pequeno resquício de amizade.
      Fico por aqui. Muito mais havia a dizer, mas temo que te vás embora e me deixes a falar sozinha. :)

      Obrigada por este comentário.
      Consegues ser a lufada de ar fresco, a pedrada no charco, a outra visão da vida. Importante, a menina, já viu?! :)

      Beijinhos.

      Eliminar
  7. Para começar, GL, faço a mesma interpretação da frase.
    Relativamente à fotografia, se tem ou não técnica, é o que menos importa. Foi aquilo que no momento os seus olhos através da máquina captaram. Talvez de tão amado, o Tejo, quis dar um ar da sua graça. ;))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só pode ter sido isso, Maria Moura. De tão amado o meu Tejo quis retribuir com aquela simpatia. :)
      Bem-vinda até ao "olhares".

      Eliminar
  8. Por vezes , os zombies conseguerm deixar desconforto .

    Quanto à belíssima foto , já ouviu dizer . . . " parece que foi magia " : )

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aliás, os zombies deixam, essencialmente, desconforto, nada mais.
      A foto? "Magia", e muito elaborada. :)

      Abraço.

      Eliminar
  9. Olha... felizes os que escolhem não estar sós.
    E pobres daqueles que não sabem da magia que um encontro com um outro acarreta.
    Mas tenho para mim que cada um vive a vida como sabe. Ninguém escolhe verdadeiramente estar só (o que não é sinónimo de ter temporadas sozinho)
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boop,

      Nem sempre é uma questão de escolha, se bem que por vezes aconteça. Cada um tem a sua maneira de estar, de ver/viver a vida.
      Não imagino a vida sem o Outro, nem pensar. O vazio, a solidão é qualquer coisa que me assusta.

      Abraço.

      Eliminar

  10. Até acho original, GL, e muito ilustrativa. De facto, a terra é redonda já ali à esquerda. Bom plano!

    Quanto à frase que te mandaram, concordo plenamente. Tu sabes que sim. ;)

    Beijinho (ainda muito amparado)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Linda, a minha "obra"!:)
      A frase tem o seu quê de verdade, sem dúvida.

      Continuas doentinha? Que coisa aborrecida, essa! É que está difícil de passar!:(

      Votos de rápidas melhoras.
      Beijinho.

      Eliminar
  11. Respostas
    1. Se não for assim que encanto tem a vida?!

      Eliminar
  12. Num olhar mais atento deparo que foi um momento de sorte...esta foto!
    Por vezes...queremos uma excelente foto e não conseguimos e quando não procuramos...encontramos o jeito...desajeitado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Põe desajeitado nisso!:)
      Viste a ponte e o Cristo Rei? Não? Então faz o favor de clicar na imagem. :)

      Eliminar
  13. "Chaque jour nous laissons une partie de nous-mêmes en chemin" - isto escreveu-o Amiel e eu cito-o aqui "para me dar ares".
    Portanto se alguém pegar nessas pequenas partes que vamos deixando, já valeu a pena a caminhada.
    Assim, às vezes até conseguimos reconhecer alguém numa bonita núvem que vemos, mesmo numa má fotografia...
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende da pegada que deixamos, Sr. D. Carapau, ou não estará V. Senhoria de acordo?
      É crítico fotográfico, por acaso? Então com que direito classifica a minha bela fotografia como sendo má?
      Solicito uma nova avaliação à dita dado não concordar com classificação dada.
      Abraço contrariado.

      Eliminar
  14. A foto está deliciosa, GL, e a citação é do Saint Exupery!

    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Lobinho,

      A foto está estranha, isso sim!:).
      Beijinho, Amigo

      Eliminar