quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Quando as boas notícias...


... nos deixam o coração em festa.
 
O caso noticiado ontem, relativo ao homem paraplégico que começou a ter melhorias tão significativas que já lhe permitem dar alguns passos, só nos pode alegrar e por dois motivos: primeiro pelo que representa de esperança para tantos indivíduos que se encontram nesta situação, depois por


 
 
estarmos perante uma técnica que começou por ser estudada/experimentada por médicos portugueses.
 
"Britânicos revelaram ontem recuperação de um paraplégico graças a um autotransplante de células da mucosa olfativa. Estas células são usadas desde 2001 no Hospital de Egas Moniz e também há quem tenha voltado a andar". (aqui)

Que importância tem quem começou, quem desenvolveu, dirão muitos de vós. Em termos práticos talvez pouca, em termos de orgulho, muita. A nossa autoestima necessita de "alimento", está sôfrega de pessoas de qualidade, muito particularmente numa área como a saúde.
Necessitamos de pessoas que façam a diferença no meio da mediocridade, se bem que, e sejamos justos, ultimamente tenham aparecido, e nas mais variadas áreas, pessoas de muito valor.
 
No caso concreto deste homem não posso deixar de partilhar da sua alegria e esperança. Deus o ajude nesta caminhada rumo a uma recuperação, que se deseja, o mais completa possível.
 
Hoje estou feliz!
Hoje bendigo os Homens que dedicam a sua vida a estudar, a investigar, tendo em vista o bem estar de outros Homens.
 
 
Nota: Negrito e sublinhado meu.
 
 
 
 

19 comentários:

  1. Respostas
    1. É isso mesmo! Nunca lhes agradecemos devidamente o que fazem em prol do outro. :)

      Eliminar
  2. Estes avanços da medicina são admiráveis.
    Células nasais para reconstruir a espinal medula?
    Parece coisa de filme.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para nós, leigos, é estranhíssimo, mas o que importa é que resulta.
      Mundo fascinante, este da ciência.
      Abençoados Homens, estes.
      Abraço.

      Eliminar
  3. Sem dúvida...um belo motivo para nos sentirmos felizes!!!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é! A importância que o sucesso desta investigação vai ter na vida de milhares de pessoas é, para a maioria de nós, incalculável.
      Beijinho

      Eliminar
  4. vitória da VIDA sobre a morte
    são essas pequenas/grandes vitórias que nos reconciliam com o mundo (cão?) de hoje...

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vitória em termos de qualidade de vida. Muitas das pessoas que sofrem acidentes que os deixam tetra ou paraplégicos sobrivevem, mas para sempre presos, ou a uma cama ou cadeira de rodas.
      Abençoados Homens, estes.

      Eliminar
  5. Mas que boa notícia! Desconhecia. Realmente, os cientistas portugueses são muito bons. A Esperança e a Alegria que isto representa para tantas pessoas. Fantástico!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenha dúvida, Sandra! Para muitos esta é a tão esperada luz ao fundo do túnel.

      Beijinho.

      Eliminar
  6. De pequenos passos se fazem estas descobertas. Muitas vezes o acaso tem um papel importante, o saber aproveitar os sinais e explorá-los é o mais importante. Depois é trabalho, trabalho e trabalho.
    É bom saber que no fim isso ajudou a resolver problemas às pessoas. Avé!
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pequenos passos transformados em passos de gigante. Mas quanto trabalho, PM, quanta dedicação, quanta luta, quanto empenhamento, quanto trabalho, como dizes, e bem!
      Mas depois, perante estes resultados, quanta alegria, quanta vontade de ir mais longe, cada vez mais longe.
      Deus abençoe estes Homens e Mulheres que dedicam a sua vida em prol do bem comum.
      Curvo-me, acredita, perante eles.

      Abraço grande.

      Eliminar
  7. Olá GL,

    Aqui está uma notícia que me deixa muito feliz e orgulhoso.
    Feliz pelos resultados alcançados e pela evolução que se espera num futuro próximo, permissão para sonhar.
    Orgulhoso porque os primeiros passos desta investigação foram dados cá em Portugal!

    GL, será que consegues explicar-me porque é que notícias destas, que transmitem esperança, e que podem ajudar cada um de nós, que ninguém está livre destas "coisas", nunca têm muitos comentários nem são saudadas com o entusiasmo devido?

    Abraço grande e bom resto de Domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Argos,

      Penso que a todos nós, pelo menos àqueles que se preocupam com o Outro.
      Os nossos investigadores estão a fazer um óptimo caminho, estão a mostrar ao mundo que há portugueses muito, muito competentes, isto em diversas áreas.

      Para a tua questão uma única resposta. Penso - e repito, penso -, que as pessoas na sua grande maioria fogem de tudo o que lhes causa algum desconforto. Tudo o que incomoda, tudo o que cause até medo, sei lá, leva-as a virar a cara, a não querer ver numa fuga que não leva a lado nenhum.
      Lamento, porque a vida é feita de tudo, não apenas de coisas boas e fáceis.
      Mas atenção, respeito a postura de cada um, ainda que por vezes não a entenda.

      Abraço grande, Amigo.




      Abraço grande.

      Eliminar
    2. Ah! Só agora reparei. Porque é que tiveste direito a dois abraços?

      Outro? Nem pensar!:)

      Eliminar
  8. Uma boa notícia. Tão bom. Há tanta coisa que nos desgosta, esta pelo menos faz-nos sentir bem.
    Bem-haja. :))
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Ana. Sabermos que tantas pessoas podem, finalmente, sonhar com um futuro melhor, é qualquer coisa que nos aquece a alma.

      Beijinho.

      Eliminar
  9. Isto sim é felicidade , isto sim levanta - nos o ânimo . . . saber que certas pessoas terão a sua vida menos limitada .
    Lamento , apenas , que a noticia tenha sido tão pouco divulgada

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre assim, porque este tipo de notícias não são, propriamente, as que mais interessam à generalidade das pessoas. Então para quê publicá-las? É bom não esquecer as audiências. É que tudo funciona à volta disso: vender seja o que for, papel ou programas televisivos.
      É triste, mas é assim.

      Abraço

      Eliminar