sábado, 22 de novembro de 2014

Inevitabilidades (dispensáveis) II

Há poucas horas deu-se uma "hecatombe" no nosso belo rectângulo à beira mar plantado.
É verdade, o Sr. da fotografia abaixo foi detido.


Há quanto tempo se falava de irregularidades várias?

Sem mais comentários por desnecessários.

20 comentários:

  1. Onde há fumo... há fogo...
    Mas convenhamos que o timing desta detenção veio mesmo a calhar... durante uns dias os vistos Gold, BES, PT passam para 2ª plano... conveniente não???
    Aguardemos os próximos capítulos destas telenovelas que não são mexicanas mas bem portuguesinhas... e vamos com quantas "SURPRESAS" vamos ser brindados..:-)))
    Beijinhos
    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há fogo, pois há, mas nada que uma simples mangueirada, um tristinho jacto de água não apague.
      Ah, mas para esquecer este "simples" episódio outro está na calha: as farmácias e as falcatruas com os medicamentos.
      As "SURPRESAS"? Ah, mas essas são do melhor que há! :)))

      Beijinhos.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Receio que tudo isto não passe de um fogo fátuo, algo para entreter os tristes, ou seja, nós!.

      Beijinho.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Ah! Fugiu?! Pobrezito!
      O primeiro estava escondido. São uns brincalhões!!!

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Estou tao farto de comentar isto que já nem consigo dizer nada... So peca por tardio...

    bjo amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É preciso muita paciência, muita, mas nisso somos muito bons!

      Beijinho, Amigo.

      Eliminar
  5. Evitava era de ser com tanto espavento.....
    Boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas aqui o que se faz é em grande, ora essa! :(
      Tudo faz parte, Pedro, tudo!...

      Abraço.

      Eliminar
  6. não está a ser julgado pela Justiça, mas devorado pelos coiotes...

    é o que me dizem as "noticias de babilónia"...

    beijo

    ResponderEliminar
  7. É aconselhável não esquecer que este cavalheiro bem falante conduziu o país a esta ruína...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem bem falante era, João. O dom da retórica não quis nada com ele.
      Se tinha outros "dons"? Desgraçadamente para nós, sim!!!!

      Abraço.

      Eliminar
  8. Cá se fazem (ao que consta...) cá se pagam (às vezes...) !

    Vi-te no "Labirinto" , Vim-te ver :)

    Um beijo
    Miguel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vindo, Miguel!
      Os labirintos têm destas coisas - não o que te trouxe até aqui! :) - conduzem-nos a locais improváveis.
      Logo que me seja possível irei espreitar o teu "cantinho". :)

      Raramente se pagam, ou se se pagam é sempre por defeito. É que há estragos irreversíveis!

      Abraço.

      Eliminar
  9. Tenho desejos mas não comento notícias de jornais

    A canalha tem muita força
    olhos postos nos que andam ainda à solta

    ResponderEliminar
  10. Nem queria acreditar quando ouvi...Ultimamente, parece que a justiça perdeu o medo de actuar, o que é bom.
    O juíz Carlos Alexandre parece ser um homem de coragem, tendo em conta que já lhe atropelaram a mulher, assaltaram a casa e colocaram uma arma de fogo junto à fotografia dos filhos, segundo li algures....Deus o proteja e aos investigadores, para que a investigação corra bem e se faça justiça, neste e noutros casos. É de homens corajosos que Portugal precisa. Que a incúria e a impunidade têm sido muitas. E que, devidamente comprovadas e provadas pelo tribunal, se devia avançar para outro tipo de crime: de lesa-pátria (financeira, económica. social, imagem do país,...), que não sei se existe em termos jurídicos (se calhar não...).
    Bj amigo.

    ResponderEliminar
  11. Há uma esperança sim, de que a impunidade reinante tenha os dias contados. Vamos ver como todo este processo evolui, se finalmente a justiça começa a cumprir aquilo que lhe compete: fazer justiça seja quais forem os culpados.
    Beijinho, Sandra.

    ResponderEliminar
  12. Não percebi nada do que está escrito. Quem é aquele senhor da foto? Parece que se esqueceu qualquer coisa ou já não sabe onde a guardou.
    Estou quase como ele, já me esqueci do que vinha aqui fazer...
    Abraço.

    ResponderEliminar