domingo, 21 de dezembro de 2014

Natal e Novo Ano, que votos?!

Uma vez mais - e desculpem a franqueza mas não sei ser de outra forma -, não gosto do Natal.
Abomino a hipocrisia que, em muitos casos, lhe está colada como uma erva daninha.
Não gosto da prendinha que se dá porque sim. 
Não gosto do telefonema, da visita, do "olá", do suposto mimo apenas porque sim. 


 
E sem querer ser "boazinha", longe, muito longe disso, não consigo esquecer que é nesta quadra que tudo tem mais peso, que tudo é sentido de forma muito mais intensa, o bom e o mau, com grande relevância para o mau.
Há dias a RTP transmitiu uma reportagem - mais uma! - de um almoço de Natal servido a um grupo de pessoas sem-abrigo. Nunca mais esquecerei a imagem do menino - teria, talvez 6/7 anos - que enquanto os pais (?) respondiam à questão "importante" sobre o que tinha sido o almoço, gritava, numa excitação e alegria sem nome: "e bolo, e bolo, e bolo!". Há quanto tempo aquela criança não teria tido o simples prazer de comer um bolo?! 
Não, não quero! Enquanto tiver no meu país - para já não falar das tragédias humanitárias de fome extrema que grassam um pouco por todo o mundo - meninos que não têm direito ao mais básico do básico, não comungo com hipocrisias natalícias.
É que o Natal celebra-se num, dois dias, e as pessoas em questão necessitam de ajuda todos os dias, mais, necessitam que lhes sejam dadas condições para que possam viver com dignidade, e isto é transversal a toda a sociedade, a todos os grupos etários.
Sim, de forma pragmática sei que nada é linear. Sim, sei que há quem se aproveite, quem não tenha tanta necessidade como aparenta, mas também sei que há muitos que têm muito mais, que estão no extremo oposto: necessitam mas a vergonha, o que lhes resta de dignidade, impede-os de pedir ajuda.
 
Espero ter o meu Natal "normal", à semelhança da maioria de voz, mas acreditem, é um Natal dorido, tão dorido! É que não consigo abstrair-me de todos aqueles que nada têm.
 
Deixo-vos, como presente, o meu singelo Presépio.
 
 
SANTO NATAL PARA TODOS AQUELES
QUE TÊM A BENÇÃO DE O
PODER VIVER/TER.
 
Votos sinceros de um 2015 menos dramático que os anos antecedentes.
 

13 comentários:

  1. Obrigada, GL!
    Concordo consigo. Há muita hipocrisia, sim. Pessoas que ignoram os familiares durante o ano, os negligenciam ou, até, lhes causam grandes desgostos e problemas graves, mas acham que nos devemos juntar todos na noite de 24. Cinismo! Sem contar o voltar a cara para o lado, no que ao Próximo em dificuldades diz respeito durante todo o ano. Tristeza!
    Mas, bom, também há aqueles que sabem ser Família e Amigos ao longo do Ano. :-)
    Um Santo Natal para si, GL! E um Bom Ano de 2015. :-) Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. Partilho por inteiro da narrativa feita.
    Daí ter escrito um post chamado o avesso do Natal.

    Boas Festas

    http://diogo-mar.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Belo presépio, GL !

    Obrigado pelos votos endereçados que retribuo com toda a amizade.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Já o ano passado fiz um post semelhante ao teu..."O natal da hiprocrisia..." quase ninguém se lembra dos sem abrigo, dos desempregados, das crianças de rua e dos idosos, 364 dias no ano... depois chega a esta altura é tudo Paz e Amor... armam as tendas e vai de fazer uma festa e dar uma prendinha...!!!
    Eu procuro, dentro do possível fazer natal 365 por ano, ajudo quem está pior que eu (desempregada aos 63 anos) e não posso ver uma criança com fome que não lhe dê de comer...
    O ser humano cada vez é mais egoista... vive `à volta do seu umbigo e assobia para o ar quando vê alguém necessitado.
    Não posso estar mais de acordo com as tuas palavras.
    Beijinho grande um Natal com Paz e Saúde .
    Teresa

    ResponderEliminar
  5. Eu gosto do meu Natal.Não gosto do Natal e da hipocrisia que lhe está associada!!!
    Um beijinho de BOAS FESTAS para ti!!!

    ResponderEliminar
  6. GL,

    Concordo com quase tudo o que escrevestes aqui. Quase.
    Quanto ao resto, tenho umas dúvidas:
    No Natal, sabendo que as pessoas estão mais susceptíveis em ajudar o outro, alguns utilizam isso em favor dos que realmente precisam. É nesta época que conseguem as maiores dádivas que depois tentam que sejam utilizadas para mudar a vida de uns poucos, muito poucos.
    Tambem dão presentes ( e recebem - quem nunca deu nem recebeu nenhum presente no Natal, que atire a primeira pedra), por isso tentam que alguns desses presentes sejam solidários. A minha dúvida é, essas pessoas são hipócritas? Serão até mais hipócritas do que as que dão, já que têm noção do que estão a fazer?
    A outra coisa em que tenho dúvida é quando desejas um Santo Natal a todos aqueles que têm a benção de o poder ter. Afinal o que é o Natal? Não é ter Deus dentro de nós ou pelo menos sentir a vinda de Jesus e o seu percurso na terra como um exemplo a seguir ou uma experiência de vida,
    mesmo que não seja cristão? Então não percebo porque só posso ter Deus em mim se estiver feliz!
    Felicidade, alegria...coisas que podemos não possuir mas que podemos dar aos outros.

    Abraço grande e um Santo Natal

    ResponderEliminar
  7. Para mim, que não pertenço a nenhuma organização religiosa, que sou grata a Deus pelo nascimento de Jesus, tal como sou grata pelo nascimento de qualquer pessoa que faça a diferença de forma positiva, o meu Natal é e vai ser sempre uma época de gratidão. Mesmo naquele ano em que descobri que tinha uma doença crónica, ou naquele ano em que a minha avó sofreu (e tanto!) com um brutal tumor maligno, e noutros anos menos bons para mim e para os que amo, cheguei a esta época sempre grata. Nem tanto por ser Natal, a celebração de um homem bom, como foi Jesus, mas por estarmos no término de mais um ano. Como poderei não estar grata? Deus está naqueles voluntários que distribuem alimento aos sem-abrigo. Deus está naqueles que fazem o que podem e não podem para aliviar um pedaço que seja o sofrimento daqueles que sofrem com as guerras. Deus está no pôr do sol de outono, que é dos mais bonitos de todas as estações do ano. Deus está em tudo. Simples assim. Não há nada que exista que Ele não domine e cuide, através de nós. Que conforto, ter a certeza disto.

    Para 2015: «Visto-me de força e dignidade, e riu-me sem medo do futuro.» Provérbio 31.
    (Que uma pessoa pode não ser cristã, mas achar a Bíblia o livro mas fascinante de sempre e encontrar frases como esta, que fazem todo o sentido.)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Bom dia

    Andei a ler o teu blogue de fio a pavio e realmente tens temas muito interessantes e cheios de vida. Este é mais um e concordo, apesar de eu gostar muito do dia 24 para dia 25 onde nos juntamos 14 ao todo, os mesmos 14 que durante o ano se junta muitas, mas muitas vezes, o que é sempre tão bom.

    Faço o que posso até onde chegam os meus braços e oriunda de um país que foi destruído pela guerra, hoje em franca recuperação, parei em Portugal que me acolheu muito bem...mas hipocrisia, maldade, oportunismo, corrupção etc. existe em todo o lado e basta ver ao que temos sido sujeitos sem dó nem piedade.

    Quando dizes: "É que o Natal celebra-se num, dois dias, e as pessoas em questão necessitam de ajuda todos os dias, mais, necessitam que lhes sejam dadas condições para que possam viver com dignidade, e isto é transversal a toda a sociedade, a todos os grupos etários." o que subscrevo inteiramente, páro para respirar fundo, e penso no lado positivo da "coisa"...pelo menos uma vez por ano quem mais precisa tem um momento diferente e bem recheado.
    Não suporto as festarolas disto e daquilo em prol de...mas deixo-lhes o benefício da dúvida.
    Andei quase dois anos a ajudar dois casais de velhos (como eu:)) que viviam numa precariedade escondida e por saber bem o que é a FOME, o abrir as mãos e não ter NADA, o apoio mensal que recebiam da Diaconia era no mínimo - não digo - e consegui juntar 6 pessoas de forma a terem semanalmente a "comida na mesa". Um deles já morreram, primeiro ele e dois meses depois ela. O outro voltaram igualmente ajudados por nós à terra Natal dela e hoje é gratificante sentir que fiz algo porque alguém como há uns anos fizeram por mim e tudo vindo do NADA!

    Contei há tempos o que fiz com um cobertor e a hoje fiz mais um pequenino gesto quando fui buscar o pão e vejo uma pessoa sentada à beira do passeio. Seis e meia da manhã...precisa de alguma coisa? Quer ir ali tomar algo quentinho? Olhou para mim e os seus olhos "eram um mar de sofrimento". Bebeu e comeu e só me disse estas palavras: obrigado por não me considerar "lixo". Não gosto de agradecimentos e respondi-lhe apenas isso, porque todos devemos pensar que um dia poderemos estar igual ou pior.

    Mas não consigo resolver e ajudar tudo e todos como pretenderia e festejo o Natal com uma certeza: durante o ano todos nós praticamos pequeninos gestos sem os holofotes da caixinha mágica e outros.

    Deixo-te um enorme abraço e votos de que, vencendo um dia de cada vez, possamos voltar a um país melhor, menos precário etc porque ACREDITO que seja possível!

    Bom Natal e desculpa a invasão!

    ResponderEliminar
  9. Agradecendo a sua amizade durante o ano, e antecipando já 2015, desejo.lhe Boas Festas e um Santo Natal!

    Beijinho amigo

    ResponderEliminar
  10. Quem faz lema de vida "Olhar o mundo, olhar a sociedade, olhar o Outro, eis a minha preocupação primeira", como se diz ali no canto superior esquerdo da página do blog, não admira a publicação deste post (e outros que já por aqui apareceram).
    Portanto, é continuar... que a estrada além de longa não tem fim.
    Como sei isso e não acredito "na bondade" dos homens, não faço das coisas cavalos de batalha.
    Feitios...como dizia o outro.
    Abraço e espero que, apesar de tudo, a época tenha corrido bem.

    ResponderEliminar
  11. A todos vós, os que tiveram a paciência de vir até aqui, o meu muito obrigada.
    Apresento-vos as minhas desculpas por não responder, à semelhança do que faço habitualmente, a cada um de per si. mas o tempo escasseia e não quero adiar por mais tempo a nova postagem.
    Obrigada pela troca de opiniões/posturas, algumas divergentes, mas todas elas enriquecedoras,particularmente em temáticas desta gravidade.

    Foi assim, com esta dinâmica que sempre imaginei o "olhares", só assim faz algum sentido.

    Um abraço para todos os que vieram, com o seu contributo, enriquecer o meu cantinho.

    Bom Ano para todos.
    Que 2015 seja mais justo. Que 2015 seja o marco que faz a diferença entre justiça e injustiça, entre aqueles que tudo têm e aqueles que vivem de mãos e corações vazios.

    Uma vez mais, obrigada.

    ResponderEliminar
  12. Mesmo com os comentários " fechados " , tenho que lhe dizer . . . faço minhas as suas palavras .

    Quanto a 2015 . . . que seja portador daquilo que GL considere essencial .

    Um beijo ,

    ResponderEliminar