segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Que ninguém duvide...

... não é fadista quem quer, mas sim quem nasceu fadista.


 
 
Frase feita, dirão muitos de vós, mas quanta verdade encerra.
Pode haver bons interpretes, boas vozes, mas sem a essência, sem aquilo a que se chama alma, sem isso, não há fado, há qualquer outra coisa que até pode ser agradável de ouvir, mas fado, não.
 
Vem isto a propósito do espetáculo a que assisti no CCB, intitulado "Há fado no cais".
Dos três interpretes - se bem que não queira minimizar a actuação/interpretação de qualquer dos outros dois -  não posso deixar de salientar Raquel Tavares. É que esta Mulher é fado, é um vulcão, uma força da natureza que transpira fado, que respira fado, que "ensina" fado.
 
O facto de ser lisboeta terá algum peso neste "sentir", neste viver o fado? Que responda quem souber!

12 comentários:

  1. Tem.
    Quem cresce com o fado, absorve-o, entra-lhe na pele.

    ResponderEliminar
  2. Concordo com a opinião , ainda que prefira outras vozes .

    Bom resto de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É interessante acompanhar evoluir destes jovens, o amadurecimento, quer da voz, quer da presença em palco, e a Raquel Tavares surpreendeu-me pela positiva.

      Abraço.

      Eliminar
  3. Claro que sim. Tal como quem nasce cigano, nasce flamenco.
    Adoro essa voz, mas sou ainda mais fã da Carminho.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais!
      Quanto à Raquel, olha que tem feito um belíssimo percurso!
      Beijinho.

      Eliminar
  4. O fado é hoje o que "está a dar" e está na moda ser fadista (ou dizer que se é fadista).
    Eu que não sou entendido em fado, mas que durante alguns anos "andei" pelos "círculos fadistas", apetece-me dizer que hoje há muitos "fados" e muito boa gente cavalgou a onda "fado".
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre fomos um pouco (ou muito!) de modas, é facto, mas agora - também como sempre -, há gente de muita qualidade.
      O Sr. PM andou pelos "círculos fadistas"? Ah, foi? E sabe cantar o dito? :)
      Para muitos, cavalgar a onda "fado" passou a ser um modo de vida.
      Abraço.

      Eliminar
  5. (Vamos ver se à 2ª é de vez, porque o 1º comentario deve ter ido apanhar sol)
    Não podia estar mais de acordo com a palavra "vulcão" em relação à Raquel Tavares!
    A musica estuda-se.... canto aprende-se, a voz educa-se, quem a tem boa para cantar...
    Fado, o verdadeiro fado canta-o quem tem alma, o verdadeiro fado sai do coração e não apenas da garganta!
    Um beijinho e bom fim de semana
    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pobrezinha! A persistência não é uma grande virtude? Então?! :))

      É isso mesmo. O sentimento "fado", nasce, ou não, connosco, e daqui não há como fugir.
      Foi um imenso prazer ouvir/ver a Raquel Tavares. Que força emana daquela mulher!

      Beijinho.

      Eliminar