domingo, 29 de março de 2015

A Imortalidade feita peosia!

Herberto Helder, o Poeta, talvez um dos Poetas maiores, partiu.


 
Partiu, apenas, porque os Grandes não morrem.
Num silêncio apaziguado, ouço-o. Ouço a vida que tão delicadamente diz. Ouço, quase "palpo", a delicadeza da sensibilidade só apanágio dos grandes. Bebo as palavras, uma a uma, sôfrega.
E por fim, o silêncio que se instala fica prenhe de magia.
 

11 comentários:

  1. Nunca tinha lido nada deste poeta...mas li num blog que visito...algumas passagens poéticas e gostei!
    Vou espreitar a sua escolha!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Fico feliz por ter gostado. :)) É que sou suspeita, uma vez que se trata de um dos meus poetas preferidos.

      Beijinho

      Eliminar
  3. LI tudo ou quase tudo de Herbert, um dos poetas que gosto muito. Que descanse em paz!

    Beijocas e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O legado que nos deixou condu-lo à eternidade.

      Beijinho

      Eliminar
  4. Foi bom ouvir este poema. Assim, Herberto Helder continua vivo.
    Beijinho.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há Homens imortais, e mesmo esses teimamos em manter vivos nas nossas memórias.

      Beijinho.

      Eliminar
  5. Os homens morrem... o talento é eterno...
    Continuação de uma boa semana, GL!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar