domingo, 1 de março de 2015

Alguém que me explique, mas devagarinho,...

... muito devagarinho porque sou muito estúpida.

Vários são os que se têm manifestado, junto ao estabelecimento prisional de Évora, numa acção de solidariedade(?) contra à prisão injusta - na perspectiva dos mesmos -, do Sr. Eng. José Sócrates.
Até aqui nada de especial, é um direito que lhes assiste, ponto.

O que me espanta, o que me causa uma imensa estranheza, o que não entendo, mas não entendo mesmo, é qual a razão que leva estas pessoas a fazerem-se acompanhar de cravos vermelhos, que empunham orgulhosamente, enquanto entoam o "Grândola, vila morena".

 
Qual a relação entre uma coisa e outra?
Alguém que me explique, por favor.
 
O cartaz? Bem, outro direito que assiste a quem o escreve e subscreve.
  


 
 Desculpa, Zeca, desculpa!

 

14 comentários:

  1. Aqueles cidadãos entendem que a prisão de José Sócrates, é uma questão política.
    Resolveram manifestar essa ideia, e isso é lá com eles, de forma errada.
    Os cravos não fizerem sentido algum. O Grândola Vila Morena também não. Quer uma coisa quer outra têm sido abusivamente utilizados.
    Que se coloquem na lapela cravos, não me impressiona. Parece que a maioria dos usados desta feita, estavam murchos, o que faz sentido.
    A canção de José Afonso está habituada a ser veículo de protesto, da forma mais estúpida, como por exemplo nos grupinhos que passearam a sua revolta na Assembleia da República.

    Triste ideia a dos 30 (mais coisa menos coisa) cidadãos. Pela forma e pelo conteúdo.

    Por outro lado, este tipo de 'apoios' não favorece Sócrates. São, mesmo, passíveis de ser acometidos pelo efeito bomerangue.

    Dei a minha opinião, GL, o mais devagar possível. Será que ajudei?
    Boa semana, um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Triste ideia, mesmo!
      Até admito que possa ser isso, o que, convenhamos, não deixa de ser estranho.
      Confundir "alhos com bugalhos" nunca deixou se ser pernicioso, só que por vezes, e para a maioria torna-se difícil "separar as águas", todos sabemos isso.

      A questão que subsiste quando vejo estas iniciativas, é saber de onde, ou melhor de quem partiu a ideia, perceber qual a finalidade.

      Foi! Foi devagarinho e percebi.:)

      Abraço.

      Eliminar
  2. Amanhã vou escrever acerca do caso porque também já me irrita.
    Preso político??
    Esta gentinha tem ideia do que é um preso político??
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não tem. Se dúvidas houvesse...
      Isto significa que continuamos pouco esclarecidos ou é impressão minha?

      Abraço.

      Eliminar
  3. Também é dúvida que me assalta. Não sei se, mesmo devagarinho, consigo entender...

    abç

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É triste, depois de todo o caminho percorrido.

      Abraço

      Eliminar
  4. Tadinho do 44... aquele "estabelecimento hoteleiro" tem é poucos quartos, segundo ouvi dizer só tem 45 ... eu se lá fosse exigia que aumentassem o dito para 450 , tantos os que andam cá fora e precisavam de ir fazer companhia ao sr, assim a coisa ficava muito mais animada...
    Coitado do Zeca, deve andar voltas e reviravoltas lá onde estiver... toda a gente abandalha uma canção que foi o um dos símbolos da nossa actual liberdade..:-(((
    Será que o numero de visitas ao Estabelecimento Prisional de Évora conta para o eleger como "Monumento Imoral da Humanidade Politica"???
    Haja paciência!!
    Beijinhos
    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao ritmo a que os candidatos aumentam a cada dia que passa nem os 450 a multiplicar por dois.
      Ouvir um simples noticiário transformou-se num exercício de resistência. A catadupa de "boas" notícias deste teor tiram-nos o fôlego.

      Beijinhos.

      Eliminar
  5. É o senso comum... a massa acrítica... o ir tudo atrás sem pensarem minimamente no que fazem...
    O senso comum é o pior inimigo...

    bjo amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O senso comum, a juntar à falta de senso, resulta nesta desgraça.

      Beijinho, Amigo.

      Eliminar
  6. Há coisas que não dará para entender... porque cada um as entenderá à sua maneira... e assim, sempre andará este mundo... um pouco disléxico de acções e convicções acertadas... como a GL, tão bem nos mostrou no seu post...
    Bom rever o Zeca... nesta música, que fez todo o sentido, em dada altura... pelo menos, nesse tempo, as acções e as convicções convergiam...
    Estranho como tudo, sempre vai tendo tendência para o caos...
    Outro post bem pertinente, GL!
    Beijos
    Ana

    ResponderEliminar
  7. Além de subscrever tudo que aqui foi dito eu acrescentaria algo que escapa a muita gente. melhor perguntaria: esses grupos que foram até Évora não terão sido pagos por "gente fina da terra" e assim deram um passeio e almoçaram de borla?

    Se o fazem nas campanhas eleitorais...não nos esqueçamos que já andam há quase um ano.

    ResponderEliminar