quarta-feira, 4 de março de 2015

Pobreza, a vergonha que devia ser de todos nós.

Numa visita ao blog "carpe diem to me" deparo-me com este vídeo.
Não conhecia, só que a causa que levou Zlatan Ibrahimovic a tatuar o seu corpo não podia ser mais nobre.
 


805 milhões de pessoas com fome é qualquer coisa que nos devia envergonhar, mas a todos.
Tendencialmente a responsabilidade desta calamidade é sempre de um "outro", "outro" que não nós, logo podemos dormir tranquilos. É qualquer coisa abstrata que não nos diz respeito, mas é aí que reside o engano.
A responsabilidade pode não ser nossa, mas a obrigação de contribuir para minimizar a tragédia é de todos nós, e uma das formas é divulga-la.
Partindo deste principio, são acções como esta, iniciativas aparentemente simples, que podem fazer a diferença, "pedradas no charco" que talvez ajudem a acordar consciências de todos aqueles que andam distraídos.

Convido-vos a visitar o site que contem toda a informação relativa a esta tragédia. (aqui).

Verão que vale a pena.
Mas mais do que "valer a pena" ver,  o importante é: 

AJUDAR.

Vamos a isto?!

 
 

26 comentários:

  1. Faz impressão o número avultado de quem passa fome.
    O vídeo é apelativo. Não gosto de tatuagens mas aqui elas são necessárias.
    Beijinho grato pela partilha.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não só faz impressão como indigna. É um ultraje, um atentado à dignidade e direitos básicos de cada ser humano.

      Boa semana, Ana.
      Beijinho.

      Eliminar
  2. Excelente partilha, GL!
    Um tema pertinente, e na ordem do dia: a pobreza.
    Quando se prevê que metade da riqueza mundial, estará nas mãos de apenas 1% da população, em 2016... toma-se realmente a consciência, de como a pobreza, ainda estará a proliferar por este mundo fora...
    Um post belíssimo para despertar as consciências...
    Beijos
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem me dera, Ana, despertar nem que fosse apenas UMA consciência!
      Começam a ouvir-se vozes, vindas de vários quadrantes, que afirmam estarmos piores do que há algumas décadas atrás. E tanto caminho já feito, e tantas oportunidades vs dinheiro desperdiçados. E a esperança que se esvanece, e a tragédia que se abate sobre as famílias, e a vergonha da fome não só de volta, como num crescendo um pouco por todo o mundo.
      É tão triste Ana, tão triste.
      Beijinho.

      Eliminar
  3. A pancada que ele levou antes de poder explicar porque é que tinha tatuado o corpo, tirado a camisola!
    Chapelada para quem não é só craque dentro do campo!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que merecida é esta chapelada, Pedro!
      Que estas figuras (não, não me refiro aos figurões!) deem a cara, o corpo, tudo, em prol desta causa.
      Abraço.

      Eliminar
  4. Tenho por hábito visitar o blogue do Carpe, embora nem sempre comente, e por isso não fico admirado com esta sua postagem.
    Já conhecia esta atitude de Ibrahimovic e modifiquei a opinião que tinha do sueco. Para mim, não passava de um jogador de futebol acima da média, muitas vezes, arrogante.
    Enganei-me. Afnal, por detrás de um jogador de futebol, há uma alma boa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cheguei ao blogue do Carpe pela sua mão, obrigada. :)) Fui espreitar, gostei, fiquei. Simples!
      Não conhecia o Ibrahimovic, o futebol é um mundo que desconheço quase em absoluto, excepção feita a Messi, Ronaldo, Mourinho... Há mais?! Ai, valha-me Deus!
      Como diz o amigo Pedro Coimbra, o Homem merece uma chapelada, se merece. Todos aqueles que têm a capacidade de olhar o Outro com o coração merecem o meu respeito, muito particularmente quando a causa que defendem é desta gravidade.
      Homens que fazem a diferença, pena é que sejam tão poucos.

      Eliminar
  5. Aplaudi quando soube da sua iniciativa!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É de aplaudir e de pedir que outros lhe sigam o exemplo.

      Beijinho.

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Então quando a temática é esta!...

      Beijinho.

      Eliminar
  7. Uma ideia nobre, tatuagens que se retiram não daquelas que ficam para sempre(li isso num artigo sobre o assunto), chamando à atenção do flagelo da fome.

    Eu faço o que posso e nós por cá já temos perto de três milhões de pessoas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um número assustador, mesmo o nosso!
      Uma indignidade, um atentado, uma mancha negra neste período da nossa História.

      Beijinho.

      Eliminar
  8. .e nós por cá, todos bem! - temos o Ronaldo, ora, ora...

    beijo, amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E nós por cá todos - ou a maioria -, muito mal!

      Beijinho, Amigo.

      Eliminar
  9. Qualquer coisa que sirva para alertar é sempre de louvar.
    Lembrei-me daquele senhor sem-abrigo que me pediu alimento, quando eu ia almoçar consigo, lembra-se? E eu levei-o comigo e acho que nunca vi tanta gente a olhar-me de esguelha, quase como se eu levasse ao meu lado um criminoso. Isto diz tanto.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo inteiramente contigo. Alertar é que importa, porque acordar consciências é urgente.
      Se estes homens com maior visibilidade fizessem alguma coisa nesse sentido, quem sabe se as coisas não melhorariam, um pouco que fosse?!
      Lembro-me dessa situação, sim! Lembro a tua cara de fúria e de revolta pelo comportamento de pessoas, que de pessoas apenas têm o nome. Que tipo de criaturas são essas?!
      Essa atitude diz tudo, sim, nem são necessárias mais palavras.
      Obrigada por seres a pessoa bonita que és.
      Beijinhos

      Eliminar
  10. E ainda tem mais uma coisa sobre ele, é de origem cigana e os nomes são em sua grande maioria; de famílias inteiras que morreram e morrem dessa violência silenciosa que é o preconceito, a fome e a miséria.

    bjs de todas nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabia que Zlatan Ibrahimovic era de origem cigana. Sei que é sueco, assim como sei que a Suécia durante anos perseguiu a população cigana. Apetece dizer: "tudo boa gente"!
      E o preconceito continua, podendo considerar-se como sendo outra das pragas da maioria das actuais sociedades, não escapando a este fenómeno as ditas evoluídas. E assim continuamos a ter o homem besta de si próprio.

      Beijinho para todas.

      Eliminar
  11. Se toda a gente que visse o vídeo doasse uns cêntimos...
    Como diz a UNICEF, os "likes" não salvam vidas!

    Abraço?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Argos!

      Tens razão! O somatório desses cêntimos poderiam fazer a diferença.
      Os problemas podem mudar com acções de ordem prática, não com boas intenções.

      Abraço, claro!:)

      Eliminar
  12. Olá GL
    Detesto tatus, e ver um corpo cheio delas, faz-me sempre impressão...
    Como não ligo nenhuma a futebol, nem conhecia o jogador, mas embora na generalidade eu não goste de tatuagens, é de enaltecer os motivos porque este jogador os fez...
    A fome no mundo, principalmente das crianças é uma coisa que me toca profundamente.
    Se o dinheiro que gastam a fazer museus a idolos de futebol fosse doado para matar a fome no mundo, seria uma gota no oceano... mas milhões de gotas colmataria muita miséria.
    Um beijinho grande
    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Teresa,

      O grande problema, ou um dos grandes problemas, reside precisamente aí: a forma como são geridos os dinheiros muito particularmente os dinheiros públicos.
      O drama da fome assumiu uma dimensão tal que todas as acções levadas a cabo no sentido de a minimizar são sempre de louvar, divulgar e participar.

      Bom fim-de-semana.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Achei a causa nobre e a ideia brilhante*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma ideia - pelo menos isso! - que não deixou ninguém indiferente, logo, tenho esperança que tenha havido resultados práticos.

      Eliminar