segunda-feira, 6 de julho de 2015

Há factos que exigem pausa na pausa ...


... o NÃO da Grécia às politicas que lhe eram impostas é um deles.



 De salientar o papel do Ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, no papel importantíssimo que teve em todo este processo.
 
E é pela importância deste NÃO, pelo que significa que tenho, quero, devo isso quanto mais não seja a mim própria, felicitar o povo grego.
O caminho a percorrer não vai ser fácil, e os gregos sabem-no bem, mas não foi por isso que ficaram de cócoras, não foi por isso que baixaram os braços, não foi por isso que perderam a verticalidade de carácter.
Já mostraram, e de forma inequívoca, a fibra de que são feitos.
Saber que há um povo, representado pelos governantes por eles eleitos, que não desistem da sua dignidade, é algo que ainda nos faz acreditar em dias melhores.
 
 

 
 
Por isso vos felicito, por isso me orgulho de ainda fazer parte de uma Europa à qual pertencem, só que esta Europa não vos merece, nós não vos merecemos.

Obrigada, uma vez mais, obrigada!
Obrigada pelo exemplo que todos deviam seguir, só que...?

Só que quando a mediocridade impera, pouco, ou nada, há a fazer!


15 comentários:

  1. Não será à toa, que a Grécia, sempre foi considerada o berço da civilização...
    E em todo este processo... deu-nos a todos uma lição... embora como a GL, muito bem diz, tenha ainda um longo caminho a percorrer, em termos da obtenção de um maior rigor e transparência, futuramente, nas suas contas públicas...
    Beijos, GL! Bom tê-la de volta, por aqui... sempre com temas bem pertinentes... que nos dão que pensar...
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aguardemos a evolução de todo este processo. Que não é fácil todos sabemos, que há muitos a quem não interessa que coisas corram bem, também não é novidade.
      Continuo a acreditar nos gregos, continuo a acreditar na força e dignidade que faz deles um povo diferente.

      Beijinho, Ana.

      Eliminar
  2. Gêélamigo

    Já somos dois com opinião semelhante. Mas Varoufakis, depois do oxi ter vencido e por larga margem 61,3% contra 38,7 %, em mais uma demonstração (que aliás não era necessária...) do seu patriotismo e da democracia demitiu-se para dar o lugar a outro que talvez seja mais... flexível.

    Pelo sim, pelo não, a senhora Angela e o senhor Hollande já disseram que estão abertas as portas para nova negociação. Assim vai o Mundo.

    Por cá e como sempre, quer o ficam 18 quer o mais merkelxista do que a Merkel continuam a pregar no deserto... Isto é que é uma porra!

    Abç do alfacinha - que espera a tua visita e comentário lá na TRAVESSA...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma discussão entre Varoufakis e os seus pares é quase impossível. A diferença, e a todos os níveis, entre uns e outros é abismal, logo...

      "Assim vai o mundo", dizes bem, pena é que vá tão mal para uma imensa maioria.

      18 ou 17? É igual, não foi o que disse alguém? Quem? Pois, já não me lembro.:(

      Abraço.

      Eliminar
  3. O problema das mediocridades e dos medíocres, trata-se bem. Com superioridade, tal como os gregos fizeram.
    Ser-me-á permitido juntar-me à sua saudação e ao seu agradecimento.
    Acções ditatoriais, coisa em que o Eurogrupo é mestre, vão acabar desfeitas numa praia grega.

    Beijinho, GL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Observador, posso colocar uma questão, posso?
      Onde estão esses, os tais que, de forma muito clara, são superiores? O que se passou na Grécia era susceptivel de se ter passado aqui?
      As acções ditatoriais não me parece que morram na praia. Por muita força que os gregos tenham, a verdade é que estão sozinhos nesta luta desigual.
      Os outros países? Por favor!
      Não, não sou assim tão optimista!!!

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Vamos ver o que sai hoje da reunião do Eurogrupo....

    ResponderEliminar
  5. Respostas
    1. Em termos de lição de verticalidade de carácter, não, não fica!

      Beijinho.

      Eliminar
  6. ~ Congratulo-me com o não, mas recuso-me a entrar no domínio da euforia.
    ~ Seja como for, a Grécia está dependente da generosidade...
    ~ Com uma dívida de 1,1 mil milhões de euros à indústria farmaceutica e os
    bancos fechados, em breve, a Grécia precisará de ajuda humanitária...
    ~ Vivem-se dias verdadeiramente aflitivos...

    ~ Varoufakis é muito simpático, cumpriu as suas funções, dentro do
    projeto do SYRISA, mas não é nenhum 'santinho'...
    ~ Mostrou falta de senso, quando - arrogante - deu uma entrevista de
    grande impacto, a partir do apartamento super-luxuoso onde vive em
    Atenas, facto registado pela Wikipédia.

    ~~~~ Grande abraço. ~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem é caso para euforias, muito antes pelo contrário.
      Que a Grécia está numa situação dramática é por demais conhecido, a diferença, aqui, é a forma como todo esse drama está a ser vivido.

      Não endeuso Varoufakis, longe disso, mas que é o Homem que fez a diferença, é.

      Não me apercebi dessa entrevista, mas o facto de a ter dado a partir de casa não me parece um "pecado" maior. O Homem é diferenciado, quer em termos culturais, quer profissionais, etc., logo é natural que tenha uma vida bastante boa.
      Esse luxo é um atentado àqueles que estendem a mão à caridade? É, e insurjo-me veementemente contra isso, mas cá, neste cantinho à beira mar plantado, não se passará um pouco o mesmo?

      Abraço grande.

      Eliminar
  7. Ponho-me na fileira dos que relatam os factos "sem peias nem meias" como tu e subscrevo tudo!

    A (Des)União Europeia é TUDO menos uma União e ACREDITO que irão vencer pela positiva. Falam da miséria, corrupção etc que vivem e nós por cá não temos nada disso, pois claro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que não percamos, pelo menos, o sentido da justiça, a clarividência de distinguir aqueles que ainda fazem alguma coisa, não só em prol dos que sofrem na pele todo este desnorte, como o fazem sem nunca perder a sua dignidade e amor próprio.
      Verticalidade de carácter, dignidade, respeito, são valores que os responsáveis por este "barco", em que todos navegamos, há muito perderam.
      E isso, isso não lhes perdoo.

      Eliminar
  8. Escrevi um comentário que infelizmente se perdeu e já não estou para o repetir, pelo que peço desculpa. Resumindo, não vejo o problema da mesma maneira que a autora e os comentadores o veem. E permite que o diga, o NÃO teve pouco a ver com a dignidade. Não passou duma fanfarronada que vai sair cara. A ver vamos.
    Abraço.

    ResponderEliminar