quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Ui, que ufana estou!

Isto é que crescer em termos de maturidade, hem! Uma coisa linda de se ver!

José Rodrigues dos Santos cometeu uma falha "gravíssima" ao pronunciar a frase da celeuma, a tal que já todos conhecem de cor, mas que, mesmo assim transcrevo abaixo e a negrito, para que se veja melhor.
 
"(...) “O deputado mais velho tem 70 anos e foi eleito - ou eleita - pelo PS”. O deputado do PS em causa é Alexandre Quintanilha - homossexual assumido. José Rodrigues dos Santos diz ao Expresso que se tratou de um erro nos pivôs. E “em todas as profissões há erros.” “É um absurdo achar que eu estava a fazer uma piada”.

Ponto 1 - Uma gralha, falha, acontece a qualquer um, certo?
Ponto 2 - Justifica o pedido de demissão do homem? Ai, sim? Ui, tanta gente que vai ser demitida, alegrem-se os que estão no desemprego.
Ponto 3 - Voltámos ao tempo da caça às bruxas ou está tudo tontinho? Sim, por vezes sou meiguinha!
Ponto 4 - Os programas absolutamente idiotas que os canais públicos transmitem à exaustão, são inofensivos? A ser assim, vamos pedir um louvor a todos os responsáveis pelos ditos, essa é que é essa.

Tenhamos um mínimo de bom senso. Não dói nada, juro-vos.

Alexandre Quintanilha, e agora dirijo-me a si.
Porquê dar importância a um "caso que de "caso" nada tem? Sente-se ofendido, mas porquê? Acredito que a frase/lapso não tenha sido intencional, mas meu caro, mesmo que fosse, não acha que está a dar demasiada importância à coisa? A sua verticalidade de carácter, o seu bom nome, a honestidade que tem manifestado ao assumir a sua relação não merecem, principalmente da sua parte, um "assobiar para o lado" perante isto? Essa atitude não seria a mais correcta? Subirmos uns quantos degraus acima da mediocridade, por vezes é uma óptima "solução".
Interessa aquilo que é, ponto. Simples, não lhe parece?
A sua dignidade não sai daqui minimamente beliscada, nem pensar.

As redes sociais? Ui, se olhassem, mas com olhos "lavados", tudo o que vos rodeia, isso sim, era meritório.
Quantas pedrinhas já foram lançadas a imensas pessoas apenas pela sua orientação sexual, quantas? E depois, acharam bem? Deixemo-nos de hipocrisias, por favor.
O respeitinho é muito bonito, e TODOS, mas TODOS o merecem.

Um lapso, um simples lapso, justifica todo este "carnaval"?
É tempo de acordarmos. Há mais mundo para além deste, pequenino, cada vez mais pequenino.
 



22 comentários:

  1. Eu tive que ir lá ver o vídeo porque na primeira vez que me contaram diziam que ele tinha dito 'Alexandre Quintanilha(...) eleito ou eleita. O que seria grave (quem conta um conto...) mas como não proferiu o nome da pessoa em causa e a reportagem que se seguiu falou largos minutos acerca da 'doméstica' de 69 anos eleito 'por acaso' pelo BE. Acho que o pedido de desculpa está de bom tamanho e numa sociedade normal nem seria exigido...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francamente? Acho que se fez uma tempestade num copo de água.
      Com tanta coisa séria, grave, muito grave mesmo, e nós aqui a discutir uma coisa destas?! Valha-nos Deus!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Nunca gostei de dramatizações, enfim?... Só isso!

      Beijinho. João. :)

      Eliminar
  3. Se foi piada foi de muito mau gosto.
    E estou a ser simpático...
    Se foi lapso, acontece aos melhores.
    BFDS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fosse o que fosse, Pedro, justifica-se o tempo que se tem gasto a "discutir" isto?!...

      Bom Domingo.

      Eliminar
  4. Conforme disse não vi e nem li, a não ser ontem aqui em alguns blogues. Todo o contexto da notícia é óbvio que se referia ao dito senhor, o que para mim é mau e o próprio JRS deveria ter pedido desculpa. Por muito menos...bota nisso doses de "menos" muitos foram despedidos. Entrar em ondas que dizem ter ocorrido, jamais, daí subscrever tudo o que dizes, numa análise fantástica.

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Procuro sempre ser justa, apenas isso.
      Admito que possa estar enganada em muitas situações, mas daí a deixar-me "embarcar" sem mais nem menos, não!

      Bom Domingo.

      Beijinho, Fatyly.

      Eliminar
  5. Também não o ouvi… por isso fica difícil perceber a real intencionalidade.
    De qualquer forma acho que há jornalistas e programas (e equipas) que têm mais responsabilidade do que outros. Um telejornal é diferente de um programa da manhã.
    Mas concordo contigo quando falas do poder das redes sociais que conseguem escolher um episódio (e às vezes destorce-lo) e exponencia-lo para além da sua real dimensão.
    Neste caso em concreto, volto a dizer, não vi!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim, um telejornal tem uma responsabilidade acrescida, mas quantas barbaridades se ouvem nos ditos? Não, não nos armemos em bonzinhos, não nos fica bem.

      Eliminar
  6. Não ouvi o telejornal em que isso aconteceu, soube-o depois através da imprensa, mas estou absolutamente convencido que não foi lapso, foi sim uma gracinha de mau gosto. Ninguém tem um "lapso" daqueles (ainda se aceitava a hipótese de lapso se só tivesse dito "eleita". Agora que o caso não passa disso (uma gracinha de mau gosto) não passa. Não sei qual a reação do "atingido", mas se tiver bom senso, não reage. Se reagiu já se pôs ao nível do "humorista" (mau).
    Quanto às redes sociais uma pergunta: essas redes apanham peixe?
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos supor que foi uma gracinha de mau gosto. Foi? Então para quê todo este arrazoado?
      Está mal? Está? Mas potenciar isto até à exaustão aproveita a quem? O "atingido" deveria, isso sim, não ligar a mínima importância a nada disto, mostrando de forma inequívoca, a forma correcta de proceder perante uma situação destas.
      As redes? Ah, pois, as redes! Apanham peixinhos e de todos os tamanhos, estamos entendidos?:)
      Abraço.

      Eliminar
  7. GL, pelas últimas notícias penso que ainda não existiu um pedido formal de desculpas ao deputado Alexandre Quintanilha por parte de JRS. Tem que existir para que este assunto fique encerrado, embora ache que não vai terminar por aqui.

    Bom fim-de-semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, se é isso que vai acalmar as hostes, pois que seja. Mas repare, o deputado Alexandre Quintanilha nem devia aceitar desculpas, devia mostrar que está muito acima disso, não lhe parece? Ao aceitar desculpas não está a descer ao nível do disparate, seja qual for aquilo que o motivou? Não dar importância, elevava-o acima dessa mesquinhez, assim?!...

      Bom Domingo.

      Eliminar
  8. Passando, um pouquinho fora de horas, só para deixar um beijinho, desejar um bom fim de semana... e prometer que neste fim de semana, virei ver tudo e opinar, sobre o que andei perdendo, por aqui, nestes últimos dias... que têm passado a voar, muitíssimo ocupados, aqui deste lado...
    Beijinho e até amanhã! Daqui onde já estou... agora já tenho net com fartura... só o tempo mesmo... é que tem faltado, por estes dias...
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre tão ocupada, Ana, mas que gratificante é para si essa azáfama!:)
      Venha quando puder, quando tiver oportunidade, já sabe o prazer que me dá vê-la por aqui.:)

      Bom Domingo.

      Eliminar
  9. O que JRS disse e como disse, é tudo menos um lapso, uma gaffe. É, isso sim, maldade com gozo à mistura.
    A justificação feita à pressa pelo jornalista, é tão obtusa que torna mais confusa a situação.

    Paulo Dentinho., director da informação do canal público, disse que se tratou claramente de um lapso e que o próprio José Rodrigues dos Santos ficou chocado quando se deu conta. Diz que foi uma questão de um texto de pivô mal escrito, onde devia estar um ponto final estava uma vírgula. E que houve um erro claro de lançamento da peça.

    Entretanto, e muito bem, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social decidiu abrir um processo contra a RTP por causa do sucedido. A ERC justificou a iniciativa por considerar haver indícios de violação de direitos fundamentais dos cidadãos.

    Não foi a primeira vez que Rodrigues dos Santos usou o seu lado grosseiro enquanto profissional da informação.
    Não posso concordar com uma tentativa de branqueamento à grosseria de JRS, por muito que ele nos pisque o olho.

    Beijinho, GL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maldade? Achas? Não digo que não, mas custa-me a crer, e sabes porquê? É que isso seria de uma baixeza sem nome. Será o JRS tão básico que não visse que essa "brincadeira" se ia virar contra ele? É no mínimo, estranho.

      O teu segundo parágrafo é bem esclarecedor.
      O Paulo Dentinho afirma tratar-se de um lapso, e nem assim acreditam no homem? Que diabo, não é estranho, isso?

      Espera aí. O director de informação explica o que sucedeu e, mesmo assim, a ERC abriu um processo contra a RTP? Há aí alguma coisa que me escapa ou é impressão minha?
      Queres que seja franca, mesmo muito franca, como aliás sempre sou? A ERC devia olhar mais para a programação, e depois falar em violação dos direitos dos cidadãos.

      Grosseria também não aceito venha ela de onde vier, mas a falar em grosseria, e fazendo fé no que afirma Paulo Dentinho, não estaremos já noutro registo?

      Parece que estou a fazer a defesa do homem, mas não se trata de nada disso, nem pouco mais ou menos. Gosto de justiça, só isso, não de malabarismos mais ou menos maldosos.

      Beijinho, Observador.

      Eliminar
  10. Penso que não se justificará um pedido de demissão... mas um pedido de desculpas públicas... certamente...
    De qualquer forma... mesmo que não tenha sido intencional, na extensão do dano causado a outrém... parece-me que foi intencional, o juízo de valores, quanto à conduta, ou comportamento de cariz sexual, dessa pessoa.
    Quando estamos a ler... acho que todos vamos tomando o mínimo de sentido... se aquilo que dizemos, faz ou não sentido... não me parece de todo ter sido apenas um inocente lapso... mas uma gracinha... como o piscar de olho, por exemplo...
    Beijinho
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ele é um repórter experiente. Se fosse um erro no teleponto saberia contornar.
      Outros com menos anos de prática fazem-no.
      Mas dou o benefício da dúvida... Com reservas.

      Eliminar
  11. Ah, então foi isso?
    Bom, conhecendo como esse apresentador gosta de dizer trocadilhos e piadas no ar, não me admiraria que tivesse achado piada a tentar fazer uma assim «abragente», cheia de dualidades. Sempre achei as piadas e trocadilhos dele de mau gosto, péssimo mesmo, a roçar a brajeirice.

    Se agora o fez intencionalmente ou não, só ele o sabe. Se pagar agora pelas inumeras que fez antes, é justiça poética. Mas duvidi-o-dó. Ele tem alguma espécie de pacto com o demo. Da RTP não sai! :D :D

    ResponderEliminar