quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Vamos a isto?!

Os CTT têm levado a cabo um projecto que visa minimizar a tragédia que é a pobreza e a exclusão social.
 
Para isso criaram a "embalagem solidária", uma forma simples de colaborar mas que pode fazer a diferença.

"Já conheces a embalagem solidária dos CTT? É grátis e vem na sequência do Projecto dos CTT de luta contra a pobreza e exclusão social."

Ler mais aqui.

 
Vão enviar a prendinha? O mimo, a lembrança, seja o que for? Então por que não utilizar a dita  embalagem?

Se todos aderirmos? Ah, faz a diferença, sim!
 
Querem que apele ao vosso/nosso lado "bonzinho", "generoso", querem?
 
Então, e para os mais distraídos aqui fica, de novo:
a embalagem é grátis, está bem?!
 
 
 

22 comentários:

  1. Graças ao teu link compreendi a finalidade da Embalagem Solidária !
    Obrigado pela ideia.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens que agradecer, João.
      Coisas simples, mas que podem contribuir para ajudar alguém.

      Beijinho.

      Eliminar
  2. Esta semana vou precisar de mandar uma e vou aceitar a sugestão! Bj

    ResponderEliminar
  3. Não tenho por hábito enviar prendas via CTT.
    É uma iniciativa muito interessante.
    Ser grátis é muito bom para o tuga, para quem dado, até injecção na veia.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitas iniciativas destas e talvez a vidinha fosse mais fácil para alguns.

      Beijinho

      Eliminar
  4. E nunca é de mais lembrar, mesmo... pelo que, foi muitíssimo bem lembrado, GL!...
    Sabendo-a apreciadora de Andrea Boccelli, GL, hoje deixei lá no meu canto, um link, para uma das suas músicas... mas na tal versão dos IL Divo... se desejar espreitar... acho que poderá ser uma versão, também do seu agrado, caso ainda não conheça...
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que a blogosfera tenha alguma utilidade prática! :)
      Como sabe já andei pelo seu cantinho. Quem é que resiste a esse convite?:))

      Beijinho, Ana.

      Eliminar
  5. Sim, conheço. Foi amplamente divulgado na TV aquando os CTT aderiram a esse serviço.
    Pensei que a caixa era grátis, mas o envio NÃO. Fui ler, afinal é. O que faz todo o sentido.

    Mas acho que vai quase dar ao mesmo (quase) do que quando nos abordam na rua. Porque, primeiro, não sabes nunca se o que pretendes dar fará falta. Se enviares um pacote de arroz, massa, claro, sempre é útil. Mas quando se fala de bens não alimentares, como saber se faz falta um brinquedo, uma roupa, uns sapatos?

    Hoje em dias as instituições pedem dinheiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai dar ao mesmo do que quando nos abordam na rua? Não sei se irá, mas entre colaborar e não fazer nada, opto pela primeira hipótese.
      Em principio todas estas iniciativas têm pessoas que conhecem a realidade no terreno, logo sabem quais as necessidades de uns e outros para lhes responder de forma adequada.

      A inércia, a indiferença, o "assobiar para o lado" são males maiores que devemos evitar a todo o custo, não te parece?

      Abraço

      Eliminar
  6. Vou dar a dica aos meus pais.
    Se calhar até já conhecem.
    Mas, por via das dúvidas....
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre bom lembrar, Pedro.:))

      Beijinho.

      Eliminar
  7. Como bem sabes há anos que uso essa via no envio do muito que me dão...para dar e assim faço tudo em prol de quem mais precisa, até onde os meus braços chegam. Já perdi a conta às que enviei.
    Mais, há uns meses para os lados onde mora a filha mais velha, dei com os olhos numa pilha de livros junto a um contentor. Peguei neles e em casa limpei-os um a um e lá fui levar aos CTT para a biblioteca de uma determinada associação!

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que nunca os braços, as mãos, te doam! Que o teu coração continue a não ser apenas um órgão que bombeia sangue, mas algo mais, muito mais.
      É por saber essa tua postura que tenho por ti um enorme, um imenso respeito.
      O sofrimento pode ser castrador, mas quando se transforma em amor, atenção pelo Outro, aí parece que tudo começa a fazer sentido.

      Beijinho.

      Eliminar
  8. ~~
    Ainda não me conformei com a privatização dos CTT...
    Eram nossos, porém, não temos uma palavra a dizer
    quando da alienação do nosso património...
    ~~~ Abraço amigo. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, Majo, a única coisa que temos a fazer é conformarmo-nos.
      Não devia ser esse o caminho? Então qual?!:(

      Abraço.

      Eliminar
  9. Uma bela iniciativa! Estive hoje num posto dos CTT a saber de tudo e amanhã irei enviar duas caixas para duas instituições! Estou feliz por contribuir para que alguém possa sorrir!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho um certo dom da adivinhação? Não, mas tu deixaste adivinhar, és por demais, transparente, daí acreditar, sim, que gostas mesmo de ajudar o Outro, o tal que por razões várias caiu da desgraça.

      Nunca deixes de ser como és, que a Vida nunca te roube essa postura perante a vida.

      Beijinhos.

      Eliminar
  10. Obrigado, GL, pela partilha e divulgação.
    Quando queremos de verdade, é fácil ajudar.

    Abraço grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens que agradecer, Ricardo! Não faço mais do que aquilo que deve ser feito: ajudar - ou tentar! - o Outro, ainda que a partir de gestos tão simples como este.

      Abraço grande.

      Eliminar
  11. Boa sugestão. Muito bem, GL. Isso do ser grátis é que não concordo, deveria existir um preço simbólico, pelo menos, dinheiro esse que seria entregue à instituição. Penso eu :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo consigo, só que provavelmente a adesão seria menor caso fosse pedido qualquer pagamento, ainda que simbólico.
      Todos sabemos como funciona o nosso espírito de solidariedade.
      Já reparou, Maria? Tanto somos capazes de dar a mão, a ajuda, até a "camisa", como conseguimos passar indiferentes perante a verdadeira necessidade, quantas vezes aquela que está mesmo ao nosso lado.
      Pessoas estranhas, nós.:(

      Eliminar