domingo, 29 de novembro de 2015

Singelezas...

... que se pretende digam muito.
Por isso aqui fica, com este "cheirinho" a Natal,


...o voto de uma óptima semana para todos.

Façam o favor de ser um bocadinho felizes.



quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Colmatar lacunas?

É caso para dizer: já não era sem tempo!
Quantos governos se preocuparam com esta problemática? O que têm feito em prol da pessoa com deficiência e famílias? Além de retirarem alguns direitos adquiridos por esses cidadãos, tanto quanto sei - admito poder não estar devidamente informada - nada mais se fez.
Na década de 70 ainda houve uma abordagem, uma tentativa de encontrar alguma resposta, principalmente em termos de emprego, para essas pessoas. Depois? Depois foi o vazio, ou quase. 
 
Por tudo isso, congratulo-me com a noticia do Público, segundo a qual Ana Sofia Antunes, será a primeira secretária de Estado cega a ir para o Parlamento. Segunda palavras suas:  "Mais do que a minha ida para o Parlamento, é uma abertura de portas para as pessoas com deficiência.”*

Por tudo isto tenho esperança que consiga mudar, não só mentalidades, como tenha um acção activa no que respeita à problemática da pessoa com deficiência.


 
"Ana Sofia Antunes é a primeira secretária de Estado cega.

Ana Sofia Antunes estava em 19.º lugar nas listas do PS pelo círculo de Lisboa. Foram eleitos só 18. Ficou à porta do Parlamento, mas entra agora para o Governo como secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência. Republicamos, com as devidas adaptações, um artigo publicado em Agosto.

(...)

“Nós, ao contrário de outros países europeus, nunca tivemos pessoas com deficiência a ocupar cargos como deputados ou no Governo”, nota, considerando que essa lacuna, em termos de representação, “diz muito” sobre a própria sociedade e sobre o país. Por isso, não podia recusar o desafio: “Aceitei com muito orgulho. Mais do que a minha ida para o Parlamento, é uma abertura de portas para as pessoas com deficiência.”
 
" Ler mais aqui.

Vamos embora Sr. Secretária de Estado, faça o favor de desempenhar um óptimo e útil trabalho em prol do cidadão com deficiência. Provavelmente não vai ter a vida facilitada, mas aí residirá o seu mérito: capacidade de inverter uma situação que devia envergonhar todos os governos anteriores, repito: TODOS.
 
*Sublinhado meu. 

 

 

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Ainda Paris, numa partilha, esta muito especial!

Hoje?
Hoje deixo-vos um texto que me fez pensar - aliás como tudo o que é publicado por lá - roubado à Amiga Helena, do blogue "Cabide de Simplicidades" e com sua permissão, como é óbvio.

Aqui fica.

"Analisemos com a cabeça"

RACIOCINANDO:
A França já não dispensa um "inimigo interno", Manuel Valls associou alguns islamistas a um inimigo interno.
Qual é a política externa da França?
Que tipo de democracia é a francesa?
Quem são estes jovens radicais que se tornam máquinas de matar?
A política externa francesa está alinhada com a dos Estados Unidos, "lider do mundo livre" como bem dizia Dominique de Villepin e ao dizer isto, diz-se tudo, diz da sua hipocrisia suprema. Tem reagido sempre com intervenções armadas e lições de moral, com reacções pavlovianas. Ainda ontem o Embaixador de França em Portugal confirmava a política externa agressiva a reboque dos neoconservadores americanos em relação à Síria e ao seu Presidente, dizendo que a França queria ver Bashar al-Assad fora da Síria.
A França foi um país colonizador, não tem um passado, a esse nível, de que se possa orgulhar, antes pelo contrário.
Hoje a França está transformada pelas migrações e representa a diversidade do mundo e dos seus conflitos
A democracia francesa não tem qualidade, é a autoridade e a austeridade, medrosa.
Não tratam (eles e todos os outros povos europeus) das causas políticas A França não tem um diplomacia política, dos povos, povo a povo.
Estes jovens radicais, são jovens que vivem em guetos, sem esperança de futuro, desempregados, sem acesso aos bens culturais da bela França. São jovens que nada têm a perder.
Fazem vítimas e são vítimas.
Quem está por detrás do tal estado islâmico, quem lhes fornece armas, a quem interessa?
Quais são os grupos de interesse?
A globalização destruiu, dissolveu os Estados-nação, deixando-os expostos às histerias raciais, confessionais, etc.
Onde está a Soberania dos Estados?
A ordem ocidental (E.U./Europa) é contestada, cria conflito, desagregação.
Na verdade estamos num mundo sem regras.
Não encontremos a justificação para o que aconteceu em Paris apenas nos jovens tornados máquinas de matar. Temos obrigação de analisar globalmente, de perceber o que se está a passar, de não atirar as culpas para os primeiros que nos aparecem.
DEVEMOS TRATAR AS CAUSAS POLÍTICAS SEMPRE OU QUASE SEMPRE ESQUECIDAS:
TODOS ESTAMOS NO MESMO BARCO."



 

O espaço da Helena, um espaço que visito há uns anos - quantos Helena, recorda-se? Recorda as belas aves que nos davam os bons dias? -  tem características muito peculiares. Quando se entra apetece fazê-lo em bicos de pés para não perturbar,  descalços para não o conspurcar com a sujidade do mundo que levamos agarrados aos sapatos, à alma.
 
Intimista, um espaço de confidência, aquele com quem partilha mágoas, dores, desgostos e aflições, mas também beleza, e paz, e serenidade.
 
 A Helena fez do seu cantinho um refúgio, um espaço onde acontece o monólogo sentido, onde acontece confidência, mas também análise.
Análise do Homem e das suas idiossincrasias, das aves amigas, suas companheiras de eleição e que conhece como poucos. O que aprendi consigo, Helena, no que respeita às nossas amigas que nos ensinam liberdade!

Por vezes, e apesar do intimismo que se vive, que se "respira" por lá, entreabe uma porta - sem nunca a escancarar! - num deixar a nossa imaginação à solta. 
E assim somos livres de sonhar futuros, mas também passados. Outroras que foram belos, que carregam, até hoje, magias de bom gosto e requinte e sonho.
 
"Conversas" com o bloguinho, como carinhosamente trata o seu espaço, por vezes curtas, duas três frases, nada mais, mas quanta verdade, quanta alma?!

Os roubos? Bem, para a Helena estes já têm acontecido, logo...
 
Obrigada Helena, obrigada sempre, pelos belos momentos que me tem proporcionado.

Para si, e para todos os que por aqui passarem, fica, também uma das novas vozes francesas que muito aprecio. 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Vamos a isto?!

Os CTT têm levado a cabo um projecto que visa minimizar a tragédia que é a pobreza e a exclusão social.
 
Para isso criaram a "embalagem solidária", uma forma simples de colaborar mas que pode fazer a diferença.

"Já conheces a embalagem solidária dos CTT? É grátis e vem na sequência do Projecto dos CTT de luta contra a pobreza e exclusão social."

Ler mais aqui.

 
Vão enviar a prendinha? O mimo, a lembrança, seja o que for? Então por que não utilizar a dita  embalagem?

Se todos aderirmos? Ah, faz a diferença, sim!
 
Querem que apele ao vosso/nosso lado "bonzinho", "generoso", querem?
 
Então, e para os mais distraídos aqui fica, de novo:
a embalagem é grátis, está bem?!
 
 
 

sábado, 14 de novembro de 2015

Não há palavras, não há!

Apenas:

Paris,


estou contigo.

Com todos os que sofreram o horror. Com todos os inocentes a quem foi roubado o direito de viver.

Sim, estou convosco!


quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Quando...

Quando a podridão do homem nos deixa sem fôlego. Quando o chão nos foge, cada vez mais e mais, debaixo dos pés. Quando pensamos que já nada faz sentido, porque o homem se encarniçou contra ele próprio, numa autodestruição imparável.
Quando valores, todos eles, deixaram de fazer sentido para o homem das sociedades ditas evoluídas, quando...  



 

 
Quando tudo se conjuga para nos fazer descrer, de forma insuportável, no homem, eis que algo vem em nosso socorro e da forma mais bela.

O que dizer do último trabalho de Andrea Bocelli, Cinema? Considero-o o antídoto que nos eleva a alma, que nos apazigua, que nos proporciona momentos de pura magia.

Adquiri o CD há dias. E ouço-o. Uma vez, e outra, e outra, e outra ainda.
E é a magia que não desaparece.

Nota: Se clicarem em cima do título de cada canção ouvirão um excerto da mesma.


domingo, 8 de novembro de 2015

Patetas, convencidos e cheios de garra.

Há quem não se enxergue, e este pateta pequenitote não é excepção.
 


Querem adivinhar qual é o pateta de serviço? É fácil!
A miniatura que se agiganta numa tentativa de vencer os verdadeiramente gigantes.
A criatura que, até faz a fineza de me fazer companhia, de ser meu amigo, é a amostra de cão com pretensões a vencer aqueles que têm o triplo do seu peso e tamanho.
Ilação? Nunca desistir, mesmo quando pensamos estar perante um obstáculo intransponível.

Boa semana para todos.
Façam um favor a vós próprios: procurem ser felizes, procurem viver em pleno.

Apenas um pedido.
Atenção aos verdadeiramente frágeis, àqueles que não têm, de facto, forças e condições para sobreviver sem o empurrãozinho que faz a diferença.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Finalmente, a Imortalidade.


 A carne vermelha não se deve consumir.
Provoca cancro.
As carnes de fumeiro não se devem consumir.
Provocam cancro.
A carne de frango, ainda que branca, não se deve consumir.
Os pobrezinhos são alimentados/engordados com rações prejudiciais à saúdinha dos humanos.
O peixe não se deve consumir.
As águas estão contaminadas.
A fruta não se deve consumir.
É tratada com pesticidas.
Os vegetais não se devem consumir.
São tratados com produtos químicos.
O leite não se deve consumir.
Está comprovado ser prejudicial à saúde.
Os açúcares não se devem consumir.
Está comprovado serem os responsáveis pela diabetes e obesidade.
O sal não se deve consumir.
Está comprovado ser o responsável pela hipertensão.
Os fritos não se devem consumir.
Está comprovado serem os responsáveis pelo aumento do colesterol.
A água não se deve consumir.
Não há a certeza de que as nascentes reúnam as condições necessárias.
O pão não se deve consumir.
Não há a certeza da qualidade das farinhas.

Resta o vinho.
O vinho pode consumir-se sem reservas.
Está comprovado ser a única forma de aturar estes fundamentalismos bacocos.

E viva a Imortalidade.

E viva a paciência para aturar tudo isto.

Já agora, e enquanto não for efectuado qualquer pertinente estudo que a considere desaconselhada, façam um favorzinho:

                                   Sejam felizes, muito felizes.

Não é fácil? Não, está comprovado que não é.
Mas...?
É aproveitar, o tempo urge!

A Imortalidade espera por nós.
Aleluia!