sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Por favor!...

Hoje, num dia de mais disponibilidade, e porque não dizer, mais paciência, andei deambulando pela Net. O que encontrei? Ora bem, "coisas" importantíssimas, dignas de alguém perder o seu tempo a ler, a tomar conhecimento, a aprender. Sim, porque se aprende imenso com tamanha informação!

Saber que A saiu com B, que D tem uma saia mais janota que Y, que C esteve na praia com Z, - isto para acabarmos já com o alfabeto! - é da maior relevância, olá se é!

Meus caros responsáveis por estas páginas, a sociedade para vós resume-se a um somatório de "nadas"? Ah, as ditas têm mais "clientes"? A ideia é mesmo essa? Pois, já desconfiava!
Acalmem-se. Não se enervem, ainda não acabei e já conheço a vossa argumentação.
É óbvio que há sites muito, mas muito bons, mas caríssimos, das duas uma, ou sabemos exactamente o que queremos, ou então, caso haja necessidade de fazer pesquisa, aí...! Aí é um deus nos acuda! Para chegar a esses é necessário fazer alguma (para não dizer imensa!) travessia num deserto que, é tudo, menos inocente. O que nos é oferecido de bandeja (coitados de nós!) é lixo. Lixo e mais lixo. Não concordam? Pois, faz sentido!...


Como sou uma "cliente" fraquita, como estava a ficar um pouco, pouquinho nauseada, fui - lá está, fui pesquisar, não estava ali no meio da praia e do namorado da namorada...! - à procura de uma lufada de ar fresco, de algo que me garantisse que a humanidade ainda existe.
E foi então - aleluia! - que encontrei este belo  trabalho da Mariza.
Conhecia a canção, mas não este magnifico vídeo que me mostrou, sem margem para qualquer dúvida, que ainda se vai encontrando, se bem que raramente, "gente com gente dentro".

O oco prevalece? Lutemos para inverter a situação. Quem sabe um dia...

Façam o favor de ter um óptimo fim-de-semana.


24 comentários:

  1. Também tenho Fé que o melhor de mim ainda está por chegar.
    Não conhecia a canção, mas chegou até a mim na altura certa. Que letra, e que vídeo!...

    Abraço apertado. Muito.

    Nadine Pinto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, pois está, tenho a certeza, nem dou espaço a dúvidas!:)
      A canção é linda, e o vídeo um hino ao amor.
      Há acasos? Humm, não me parece! Ou melhor, cada vez acredito menos neles.

      Abraço apertado.

      Eliminar
  2. Bom, claro que essa estilo de revistas tem os clientes próprios e só as compra ou lê quem não tem nenhumas outras motivações que não sejam as de buscar vidas alheias.
    Quanto ao vídeo clip da Mariza é muito bom e compensa o vazio das referidas revistas.

    Um beijo amigo de quem está de férias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que nem se trata de revistas, João! A página de início do meu portátil, aquando da última ida ao "médico" dele, é que vinha com aquela "novidade", remetia logo para a informação super importante/interessante que referi. Quando vi aquilo até me assustei, mas o problema já está resolvido.:)

      Gostaste do vídeo? A mim encheu-me o coração de alegria.

      Continuação de boas férias.

      Beijinhos, João.

      Eliminar
  3. Às vezes é realmente uma aventura navegar por esta internet povoada de tanta, tanta, tanta informaçào.
    Mas o saldo é positivo! Uma era fantástica de acesso à informação - nota IMPORTANTE - ensinar as futuras gerações a seleccionar informação!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O saldo até pode pode positivo, é incontestável, o pior é o preço a pagar por isso.:(
      Temos acesso a mundos variadíssimos, da ciência à cultura, etc., etc.
      Ah, mas separar "o trigo do joio" não é tarefa fácil. O lixo dissimulado/camuflado é imenso, o perigo espreita a cada clik.:(
      Tudo tem verso e reverso, e esta realidade não foge à regra.

      Eliminar
  4. Um post cgeio de TUDO POSITIVO e irei pôr este video no meu espaço, já que tenho/temos de ACREDITAR num futuro melhor!

    Obrigado GL, muito Obrigado

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostaste, Fatyly? Óptimo! Eu achei maravilhoso!
      A esperança que esta nova geração faça a diferença é o que me mantém à tona. Os outros? Valha-nos Deus!

      Não tens que agradecer, ora essa!:)

      Beijinho.

      Eliminar
  5. Leio a pergunta "O oco prevalece?" e apetece-me dizer é isso, é isso!
    Uma expressão que se aplica a quase tudo.
    O jornalismo 'cor de rosa' é, imagine-se, ainda pior que o apelidado jornalismo convencional. Que anda, como sabemos, pelas ruas da amargura.

    A humanidade existe mas cada vez mais formatada ao jeito de como convém.

    Tem um maravilhoso fim de semana, GL e ouve mais coisas de Mariza. Vale a pena.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, concordo contigo, mas em absoluto!

      O jornalismo é a "alegria" que todos sabemos, a humanidade? - quantos saberão o que isso é? - Pobrezita, também não anda "famosa". A minha esperança está nas novas gerações, talvez consigam o milagre de inverter o processo.
      Ouço, claro que ouço, até porque gosto muito dela.:)

      Boa semana, a começar por um óptimo feriado.:)

      Beijinho

      Eliminar
  6. "Oco" mas... retumbante!
    concordará.

    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As vacuidades do retumbante, apenas isso.

      Abraço.

      Eliminar
  7. Sinceramente não tenho entre os blogues que visito gente que perca tempo, e me faça perder a mim, com fofocas.
    Não, obrigado!
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me referia a blogues - se bem que também haja disso por aí! - mas à página de entrada que o informático que reparou o meu portátil acho por bem escolher. Normalmente entro pelo Google, não por páginas daquele género.

      Abraço, Pedro.

      Eliminar
  8. Olá GL,

    Relativamente ao oco, cabe a cada um de nós não alimentar tal "coisa".
    E "o melhor de mim"? Julgo que é semelhante à felicidade, nunca se alcança em pleno, mas podemos juntar um "pedacito" todos os dias!

    Gosto muito desta música, fizemos uma coisa positiva com base nela. O vídeo? Não me vou pronunciar e tu sabes porquê...mas olha o sorriso:)

    Abraço grande
    ( podes bater)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Ricardo,

      O melhor de cada um de nós pode ir-se cultivando, aperfeiçoando, inclusivé lutando para que vá num crescendo, não te parece?
      Parar, enquistar, não se me afigura aconselhável.

      Estou a ver o sorriso, olá se estou! Posso partilhá-lo? Obrigada!:)

      Bater? É hábito agredir os amigos que passam por aqui?:):)

      Abraço pequenito, não mais do que isso.:)

      Eliminar
  9. Adorei a sua escolha!
    O vídeo está fantástico!
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Graça!

      O vídeo está, de facto, muito bem conseguido!:)

      Beijinho.

      Eliminar
  10. Xiiiii (perdoe-me este xiiii logo na entrada), este tema dava pano para mangas. Eu cá vou falar aquilo que acho de forma curta e rápida, existem temas que encaro como pastilha elástica para os olhos, mastiga-se e deita-se fora, depois de deitar fora uma pessoa concentra-se no que realmente vale a pena.

    Vou então concentrar-me no que realmente vale a pena... Pessoalmente gosto bastante de Mariza, principalmente daquela música da "Chuva" que é magnífica. A Mariza, por algumas entrevistas que já ouvi, parece-me uma pessoa simples e sem grandes manias forradas a ouro e diamante. Gosto disso.

    Um abraço, GL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Xiiii, olha quem chegou! Porquê estas boas vindas? É que gosto disso, gosto de quem fala de "forma curta e rápida". Gosto de pessoas, não de "pessoinhas", as tais que ...? Olhe, Maria, as tais que não merecem um segundo do nosso tempo.
      O tema dava pano para fatiotas inteiras, olá se dava!

      Sempre gostei da Mariza. Nunca necessitou de artimanhas para mostrar o seu real valor. Há pessoas assim, raras , mas há!

      Abraço, Maria.

      Eliminar
  11. GL,
    Estou a ver que tirei em bom tempo férias e por isso tudo o que regista me passou ao lado.
    Ainda bem que haja quem grite e esvazie a mediocridade.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, ana,

      É nosso dever gritar, um grito que se pretende de alerta.

      Beijinho. :)

      Eliminar
  12. Venho aqui várias vezes ouvir esta canção. E choro sempre.
    Não há palavras que descrevam uma canção tão perfeita, tão Vida.

    Quando escrevi o primeiro comentário a este post, achava que o melhor de mim estava para chegar. E ainda acredito. E o "melhor" continua a ser o que está a pensar. Porque eu não desisto, mas também não farei deste sonho maior um entrave para ser feliz e fazer os meus felizes. A Vida continua se não foi agora, será depois. São só 27 anos.

    Abraço apertado, muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também ainda acredito, também não deixo de acreditar. Talvez não o devesse dizer mas esta é a verdade.
      Em vez de lágrimas ainda havemos de ouvir esta canção de coração em festa.

      A Vida continua, é isso mesmo, é por aí.
      Entretanto, nada de entraves, nada que crie ângustias.
      "São só 27 anos" e um mundo à espera.

      Abraço apertado, muito.

      Eliminar