sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Não recomendável a fraquinhos...

... mas um filme absolutamente imperdível.



Não sou especialista em cinema, longe disso, mas mesmo enquanto simples espectadora atrevo-me a dizer que estamos perante um filme fabuloso. Fabuloso na interpretação, na fotografia, e não só.
Chamo a atenção para os silêncios, para pequenos pormenores como a respiração em "grande plano", para a banda sonora que "fala" com a mesma força com que a acção decorre.
Apesar da violência - espectadores houve que saíram a meio da exibição - é um filme que merece ser visto. 
Céu e inferno fundem-se. A câmara como que foge do inferno da luta para nos transportar, devagar, devagarinho, através da base da árvore ao topo, em direcção ao céu.
 
Em síntese. Um filme que retrata o Homem em todas as suas idiossincrasias: da ambição à maldade, da traição à solidariedade, do amor paternal a uma imensa capacidade de luta pela sobrevivência,
Caso DiCaprio não ganhe o Óscar por esta interpretação, a única leitura possível é que a Academia anda muito distraída.

 

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Quando um inocente ganha a batalha...

... resta-nos agradecer a Deus!


 
A todos vós os que por aqui passaram durante este período de ausência, que se aperceberam que havia um guerreiro pequenino que se debatia numa luta desigual com a doença que teimava em não o deixar, a todos vós faço questão de dar a boa nova porque todos orámos/esperámos cheios de esperança: o nosso pequenininho ganhou a batalha.
 
Graças a Deus está a recuperar bem, no colo abençoado e doce de sua Mãe, o melhor colo que alguma criança pode ter.
 
Há momentos, fracções de segundos em que acreditamos, sentimos quase que de forma física que algo de transcendente, algo que nos ultrapassa, vai acontecer.
Vivi essa experiência na primeira pessoa, e aconteceu o milagre.
 
Um grande obrigada a todos, Amigos.