domingo, 29 de maio de 2016

Incógnitas, ou nem tanto?!


O mundo, num misto de beleza e desgraça.
E é outra semana que nos espreita, e espera, e desafia.

O que nos trará de novo? Boas novas?


O mundo que se acalma?
A desumanidade, algo que já pertence ao passado?
Os homens que, finalmente, se entendem?
As guerras, todas elas, que tiveram o seu fim?
A Natureza que se reconciliou com aqueles que a destruíram? 

A utopia não passa disso mesmo, UTOPIA.

Por isso, e porque o BELO é fundamental à sobrevivência equilibrada de cada um de nós, deixo-vos este pedacinho de belo.

No universo pequenino que é o nosso, lutemos por uma semana melhor para todos aqueles que nos estão próximos.

São poucos? Serão mesmo, ou são os nossos olhos que estão meio cegos?! 

quarta-feira, 11 de maio de 2016

E é assim!...

Hoje estou zangada!
Hoje, mais do que zangada, estou triste.
Hoje...?


Fonte: Google

Alguma disponibilidade e eis-me "passeando" pela blogosfera. Num dos blogues discutia-se a mulher e a maternidade. Até aqui nada de novo, ou será? A "novidade" é que a postura de algumas intervenientes ainda CONSEGUIU deixar-me boquiaberta. "Ah, e porque há mães que nunca o deveriam ser, e há crianças infelizes e maltratadas, e, e, e, ...."?!
É verdade é, caríssimas, pobres das crianças que tivessem a desgraça de nascer de uma de vós.

Um rol de disparates, uma lástima, uma vergonha.
E eu numa revolta, numa fúria!



Ninguém obriga ninguém ao que quer que seja, caras senhoras(?!), mas um pouquinho de respeito por todas/os aqueles que põem a família acima de tudo não vos ficava nada  mal, não vos parece?

Em contrapartida, uma chapelada aos comentários de alguns homens. Maior bom senso e, o que poderia parecer surpreendente, uma muito maior sensibilidade.

Poderia deixar o link, mas o meu/vosso tempo, o daqueles que ainda tiverem paciência de passar por aqui, é demasiadamente precioso para se desperdiçar com estas alminhas.  

É, é assim!