sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Por favor!...

Hoje, num dia de mais disponibilidade, e porque não dizer, mais paciência, andei deambulando pela Net. O que encontrei? Ora bem, "coisas" importantíssimas, dignas de alguém perder o seu tempo a ler, a tomar conhecimento, a aprender. Sim, porque se aprende imenso com tamanha informação!

Saber que A saiu com B, que D tem uma saia mais janota que Y, que C esteve na praia com Z, - isto para acabarmos já com o alfabeto! - é da maior relevância, olá se é!

Meus caros responsáveis por estas páginas, a sociedade para vós resume-se a um somatório de "nadas"? Ah, as ditas têm mais "clientes"? A ideia é mesmo essa? Pois, já desconfiava!
Acalmem-se. Não se enervem, ainda não acabei e já conheço a vossa argumentação.
É óbvio que há sites muito, mas muito bons, mas caríssimos, das duas uma, ou sabemos exactamente o que queremos, ou então, caso haja necessidade de fazer pesquisa, aí...! Aí é um deus nos acuda! Para chegar a esses é necessário fazer alguma (para não dizer imensa!) travessia num deserto que, é tudo, menos inocente. O que nos é oferecido de bandeja (coitados de nós!) é lixo. Lixo e mais lixo. Não concordam? Pois, faz sentido!...


Como sou uma "cliente" fraquita, como estava a ficar um pouco, pouquinho nauseada, fui - lá está, fui pesquisar, não estava ali no meio da praia e do namorado da namorada...! - à procura de uma lufada de ar fresco, de algo que me garantisse que a humanidade ainda existe.
E foi então - aleluia! - que encontrei este belo  trabalho da Mariza.
Conhecia a canção, mas não este magnifico vídeo que me mostrou, sem margem para qualquer dúvida, que ainda se vai encontrando, se bem que raramente, "gente com gente dentro".

O oco prevalece? Lutemos para inverter a situação. Quem sabe um dia...

Façam o favor de ter um óptimo fim-de-semana.