sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Doença de Alzheimer - a Luz ao fundo do túnel.


O ser humano é acometido por medos, terrores, sustos e angústias quando perante a doença.
Contudo?! Contudo há medos e medos, dependendo das patologias e isto, porquê? Porque a morte é a presença maior em algumas delas, só que, e na minha perspectiva, há coisas incomparavelmente piores do que a morte. É que a morte é o processo natural do percurso de qualquer ser vivo, já as demências...

Respeito a opinião de cada um no que a este aspecto diz respeito mas, e se me permitem, não posso deixar de salientar aquela que apavora todos os que a conhecem bem, que sabem dos "estragos" que provoca, directos e indirectos: ao doente e à família.
Refiro-me às demências, todas elas,  e tendo origens diversas - que ninguém pense que estas se limitam apenas a uma ou duas variáveis, nada disso -, e que constituem um dos maiores flagelos que afligem o Homem actual.
Todos nós conhecemos - mas será que conhecemos ou pensamos conhecer?! - a Doença de Alzheimer, não por ser a mais grave, mas a mais temida, e, neste caso concreto, com que pertinência!

Haverá pior tragédia que perdermos a nossa identidade, o nosso Eu, logo, a nossa dignidade enquanto seres humanos? Penso que não! 



Resultado de imagem para tiago reis marques e a doença de alzheimer
Tiago Reis Marques

E agora, a boa notícia.
Numa entrevista interessantíssima dada à RTP, no programa "Grande Entrevista", que vos convido a ouvir aqui caso ainda não tivessem tido oportunidade de o fazer, o cientista português, Tiago Reis Marques que trabalha não só em Portugal, como também em Londres, no maior centro de pesquisa de psiquiatria do mundo, afirma que o tratamento/cura da Doença de Alzheimer vai ser uma realidade já nos próximos anos:  

"O tratamento pode acontecer nos próximos 5 ou 10 anos o que significa que na próxima geração já não haverá pacientes com esta doença."

Especializado em Psiquiatra, estamos perante um Homem que direcionou a sua investigação para duas patologias gravíssimas: a referida acima e a Esquizofrenia, esta numa fase de estudo ainda não tão desenvolvido.

A próxima geração já liberta do flagelo que é a "Doença de Alzheimer"?
Haverá notícia melhor?!

Resta-me desejar ao nosso cientista - quanto orgulho nele, quanto! - toda a sorte do mundo.
Resta-me agradecer-lhe.
Resta-me desejar que haja mais Homens com este empenhamento e entrega.

Não há dúvida! Cada vez mais a minha esperança na salvação desta sociedade doente, tão doente, está nas novas gerações.

O mundo é vosso, Jovens, façam dele algo de bom.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Parabéns, uma vez mais, Parabéns!

Os nossos Paralímpicos chegaram.
E chegaram felizes pelo desempenho, pelos resultados, pelo sucesso, pelas medalhas ganhas.


E nós felizes por eles, com eles.
E nós gratos pelos momentos de alegria e orgulho que nos proporcionaram.

É que de mediocres, de gente sem alma, sem querer, gente que não sabe o que é a verticalidade de carácter, o querer, o espírito de luta, desses estou cansada, mas tão cansada.

Uma vez mais, a todos vós, um grande OBRIGADA.
É que, por vezes, necessitamos de algo que nos faça acreditar que o Homem é viável e, todos vós, caros Amigos, foram disso testemunho.



quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Jogos Paralímpicos


Como é do conhecimento geral (?) têm hoje inicio os Jogos Paralímpicos.
Para já estou curiosa em ver que cobertura, que atenção vão os canais televisivos dar aos mesmos. Será que lhes vão dar a IMPORTÂNCIA que, na realidade, têm? Quantas horas irão ser disponibilizadas para a transmissão deste evento?
Como não gosto de falar por antecipação, aguardemos.


Para todos os atletas, seja qual for a modalidade, vão os meus votos dos maiores êxitos, do maior sucesso.

Fica o link para algum de vós que pretenda um qualquer esclarecimento adicional.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Robbie Williams

Ora aqui está um Homem que...




... não sei se encanta mais pela belíssima Voz, se pela interpretação, se pela extraordinária expressão facial que deixa transparecer, sem pudor, a garra, a força, o querer, e uma emoção que se sente genuína.

O Homem dos "ses"? Talvez! Uma coisa é certa: há alma nesta belíssima canção!

Para vós, para mim, aqui fica.

Obrigada, Robbie, obrigada!